Ao criticar o petista Fernando Haddad, seu adversário no segundo turno, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) atribuiu ao ex-prefeito de São Paulo uma frase do colunista Philipp Lichterbeck, da Deutsche Welle.

“Haddad, o fantoche do presidiário corrupto, escreve que está na moda um anti-intelectualismo no Brasil. A verdade é que o marmita, como todo petista, fica inventando motivos para a derrota vergonhosa que sofreram nas eleições, mesmo com campanha mais de 30 milhões mais cara”, escreveu Bolsonaro, nas redes sociais, neste sábado (5).

“Eles procuram e criam todos os motivos possíveis para estarem sendo rejeitados pela maioria da população, só não citam o verdadeiro: o PT quebrou o Brasil de tanto roubar, deixou a violência tomar proporções de guerra, é uma verdadeira quadrilha e ninguém aguenta mais isso!”, acrescentou o presidente.

A postagem de Bolsonaro faz referência a um tuíte feito por Haddad nesta sexta-feira (4), no qual o petista cita um trecho de uma coluna de Lichterbeck, entre aspas e identificando o autor. “No Brasil, está na moda um anti-intelectualismo que lembra a Inquisição. Seus representantes preferem Silas Malafaia a Immanuel Kant. Os ataques miram o próprio esclarecimento”, diz o trecho.

Bahia.ba