A bolsa de valores B3 fechou o mês de novembro com queda de 1,58%.  Este foi o quinto balanço mensal consecutivo com perdas no índice de referência Ibovespa. As informações são da Exame. No ano, a bolsa brasileira acumula queda de 14,4%, mesmo com o movimento positivo no começo do ano, quando o Ibovespa bateu a marca de 120 mil pontos.

Situação semelhante ocorreu no mês passado, que começou com a expectativa de recuperação com a possível aprovação da PEC dos Precatórios, que garantiria o financiamento do Auxílio Brasil. A Proposta de Emenda Constitucional 23/2021ainda pode ser aprovada, mas permanece tramitando no Senado e provavelmente terá que voltar à Câmara. Dois fatores externos influenciaram os investidores. Primeiro, a retirada gradual de estímulos monetários do Federal Reserve nos Estados Unidos e, no final de novembro, a chegada da variante Ômicron do novo coronavírus acendeu novo sinal vermelho.

De acordo com levantamento da Economática, solicitado pela Exame, 60% das 89 ações que compõem o índice fecharam o mês em baixa. Em novembro, as maiores quedas afetaram papeis de empresas cujos balanços do terceiro trimestre frustraram o mercado. O maior tombo ocorreu com a Natura (-31,39%). Já a maior alta foi obtida pela TIM – que teve lucro de 21% no 3ºTRI -, com valorização de 22,99%.

Bahia.Ba