Na última segunda-feira, dia 24, a Secretaria Municipal de Saúde de São Gabriel da Cachoeira, cidade situada no Noroeste da Amazônia e considerada a mais indígena no Brasil, recebeu a doação de um sistema completo para detecção de problemas auditivos na população. A entrega foi feita pelo presidente da ABORL-CCF, Renato Roithmann, à secretária municipal de Saúde, Adelaide Amorim, em um evento realizado no Centro Missionário Salesiano. Na ocasião também estavam presentes outros representantes da entidade médica.

A iniciativa faz parte do projeto “Meu Otorrino é 10, ele trabalha pelas causas sociais”, idealizado pela ABORL-CCF e realizado em parceria com a Representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). A edição do Amazonas contou com apoio da Associação Expedicionários da Saúde (EDS) e Santa Casa de São Paulo.

Segundo o presidente da ABORL-CCF, a ação buscou promover a melhoria da saúde da população que, na maior parte dos casos, vive em situação de vulnerabilidade social, com dificuldade de acesso a serviços médicos. “Quando uma deficiência auditiva não é identificada e tratada, pode impactar negativamente nas relações sociais e familiares. Por isso, é necessário intervir o quanto antes e garantir o desenvolvimento mais normal possível”, comenta Roithmann.

Foram doados equipamentos de otoemissão acústica – que detecta déficit auditivo em recém-nascidos, entre outras finalidades -, de audiometria e imitanciometria, além de uma cabine especial acústica para a realização segura das avaliações.

Entre os exames oferecidos está a audiometria, que analisa a capacidade de audição e decifragem dos sons, detectando possíveis deficiências ou distúrbios. O exame preventivo é indicado para triagem auditiva em berçários, crianças em fase de pré-alfabetização e em várias situações de risco para a audição, como ambientes de trabalho ruidosos e para pacientes em uso de medicamentos com potencial tóxico sobre o ouvido, órgãos ou nervos responsáveis pela audição.

Além da doação de aparelhagem, um fonoaudiólogo local, que será responsável pela execução dos exames, foi treinado pela equipe da Santa Casa de São Paulo, coordenado pela Dra. Cilmara Cristina Alves da Costa Levy. A ação ainda proporcionou atendimento à população e agiu junto aos médicos da atenção primária, no intuito de capacitá-los para a detecção de problemas comuns do dia a dia de crianças e adultos.

Qualificação

A presença da equipe da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia em São Gabriel da Cachoeira também proporcionou uma capacitação a professores da educação infantil para ensiná-los a identificar sinais de problemas relacionados à fala, audição e respiração e sono em crianças, ocorrências que impactam negativamente o desenvolvimento infantil. Assim poderão alertar os responsáveis para a necessidade de uma avaliação médica.

A capacitação contou com especialistas otorrinos explicando o que crianças que estão sempre espirrando e coçando o nariz, com inflamações no ouvido, ou, ainda, que roncam e dormem mal, podem estar sofrendo e como essas situações interferem em seu desenvolvimento. Ao longo da ação, a população pôde ser atendida, tirar dúvidas com médicos e receber orientações sobre prevenção e cuidados com a audição.

Ações sociais pelo país

Além de São Gabriel da Cachoeira, outras cidades do Brasil já receberam o projeto “Meu Otorrino é 10, ele trabalha pelas causas sociais”. Entre elas estão Brasília, Goiânia, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Vitória, Recife e Fortaleza.

ASCOM