web analytics

Mercado financeiro mantém projeção de crescimento da economia em 2,75%

Foto: Marcos Santos/ USP Imagens

O mercado financeiro manteve as projeções para o crescimento da economia e a inflação este ano. De acordo com a pesquisa do Banco Central (BC) feita junto a instituições financeiras, a estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas no país) segue em 2,75%. Para 2019, a expectativa permanece em 3% há 13 semanas seguidas. Os dados constam do Boletim Focus, divulgado às segundas-feiras pelo Banco Central, em Brasília.

A estimativa para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), permanece em 3,49%. A projeção segue abaixo do centro da meta de 4,5%, mas acima do limite inferior de 3%. Para 2019, a estimativa para a inflação foi ajustada de 4% para 4,03%, abaixo do centro da meta (4,25%). Para alcançar a meta, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação. De acordo com a previsão do mercado financeiro, a Selic encerrará 2018 em 6,25% ao ano e subirá ao longo de 2019, encerrando o período em 8% ao ano. A projeção para o dólar comercial subiu de R$ 3,33 para R$ 3,35 no fim deste ano. Para 2019, permanece em R$ 3,40.

Redação: Kelly Oliveira | Fonte: Agência Brasil

Receita já recebeu 24,89 milhões de declarações do Imposto de Renda

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

A Receita Federal informou que, até às 16h, 24,895 milhões de declarações do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2018 foram recebidas pelo sistema do Fisco. O prazo para a entrega da declaração se encerra amanhã, dia 30.

A expectativa da Receita é receber 28,8 milhões de declarações. Os contribuintes que entregarem após o prazo estarão sujeitos ao pagamento de multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido. (Noticias ao Minuto)

FMI projeta que Brasil terá superávit primário em 2022

Foto: Daniel Isaia/ Agência Brasil

O Fundo Monetário Internacional piorou a estimativa da economia brasileira. Segundo o relatório “Fiscal Monitor” divulgado hoje (18), o FMI projeta que o Brasil só deve alcançar um superávit primário, ou seja, ter uma receita maior que a despesa para, assim, poder pagar os juros da dívida pública, em 2022.

Na última previsão, datada de outubro, o FMI estimava que as contas do país chegariam ao superávit em 2021. Para este ano, a entidade projeta um primário de 2,3% do PIB. Em meio à dificuldade de melhora das contas públicas, o governo propôs, na semana passada, manter o rombo de R$ 139 bilhões nas contas públicas em 2019. De acordo com a equipe econômica, o resultado negativo deve se manter até 2021.

Sobre a dívida bruta, o FMI prevê que o montante deve saltar de 84% no ano passado, para 87,3% do PIB de 2018. Em 2019, a estimativa é de que o endividamento deve ultrapassar os 90% do Produto Interno Bruto. Apesar de os números se manterem altos, a projeção do desempenho do endividamento teve uma pequena melhora ante a de outubro. (Metro1)

Cerca de 5,2 milhões de benefícios do Bolsa Família são cancelados

Foto: Jefferson Rudy/ Agência Senado

Cerca de 5,2 milhões de benefícios do Bolsa Família foram cancelados, conforme anunciou nesta segunda-feira (16), o ministro do Planejamento, Esteves Colnago. De acordo com ele, para os demais, o governo ainda está avaliando o reajuste do benefício. Há menos de uma semana, o novo ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, havia afirmado que o reajuste do programa ainda não estava definido, mas que poderia ser anunciado este mês ou em maio.

“As propostas estão colocadas, há uma discussão ainda dentro do governo para definição dos percentuais, da forma de fazer esse reajuste e acredito que ainda em abril ou maio teremos essa definição e o anúncio do reajuste do Bolsa”, disse na ocasião.

O antecessor Osmar Terra chegou a dizer que o reajuste seria anunciado em março, o que acabou não ocorrendo. Beltrame acrescentou que o governo pensa em um reajuste maior que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). (Bahia.Ba)

Governo publica lei que institui Refis da Micro e Pequena Empresa

Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

O Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, 9, publica a Lei Complementar 162/2018, que institui o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Simples Nacional (Pert-SN), mais conhecido como Refis da Pequena Empresa.

Inicialmente, a lei havia sido vetada integralmente pelo presidente Michel Temer, mas, na semana passada, o veto foi derrubado pelo Congresso.

Com isso, micro e pequenas empresas poderão parcelar débitos tributários com condições facilitadas e descontos em multas e em encargos legais. Os interessados poderão aderir ao parcelamento em até 90 dias. (Noticias ao Minuto)

População desempregada soma 13,121 milhões de pessoas, diz IBGE

Foto: Vagner Medeiros/ SMPR/ Fotos Públicas

O Brasil tinha 13,121 milhões de pessoas em busca de emprego no trimestre encerrado em fevereiro. Mas houve melhora em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (29).

Há menos 426 mil desempregados em relação a um ano antes, o equivalente a um recuo de 3,1%. O total de ocupados cresceu 2,0% no período de um ano, o equivalente à criação de 1,745 milhão de postos de trabalho. O contingente de inativos avançou 0,6%, 378 mil pessoas a mais nessa condição.

Como consequência, a taxa de desemprego passou de 13,2% no trimestre até fevereiro de 2017 para 12,6% no trimestre encerrado em fevereiro de 2018. O nível da ocupação, que mede o porcentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar, foi estimado em 53,9% no trimestre terminado em fevereiro. (Informações: Noticias ao Minuto)

Contas do governo registram rombo de R$ 19,2 bilhões em fevereiro

Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

As contas do governo central registraram um déficit primário de R$ 19,293 bilhões em fevereiro, o melhor desempenho para o mês desde 2015. Em relação ao ano passado, o rombo diminuiu 28,8%, o que significa uma diferença de R$ 7,8 bilhões. O resultado reúne as contas do Tesouro Nacional, da Previdência Social e do Banco Central. O resultado do segundo mês do ano foi melhor do que a mediana das expectativas do mercado financeiro, que apontava um déficit de R$ 21,200 bilhões, de acordo com levantamento do Projeções Broadcast junto a 21 instituições financeiras. O dado do mês passado ficou dentro do intervalo das estimativas, que estava entre déficits de R$ 31,000 bilhões a R$ 8,530 bilhões.

No primeiro bimestre deste ano, o resultado primário foi de superávit de R$ 11,763 bilhões, o melhor resultado para o período desde 2013. Em igual período do ano passado, esse mesmo resultado era negativo em R$ 8,332 bilhões. Em 12 meses até fevereiro, o governo central apresenta um déficit de R$ 106,2 bilhões – equivalente a 1,61% do PIB. Para este ano, a meta fiscal admite um déficit de R$ 159 bilhões nas contas do governo central. Na semana passada, o governo elevou o bloqueio no Orçamento para R$ 18,2 bilhões, a fim de evitar o descumprimento da meta. As contas do Tesouro Nacional, incluindo o Banco Central, registraram um déficit primário de R$ 4,821 bilhões em fevereiro.

No acumulado do ano, o superávit primário nas contas do Tesouro Nacional (com BC) é de R$ 40,689 bilhões. As contas apenas do Banco Central tiveram déficit de R$ 4 milhões em fevereiro e de R$ 63 milhões nos dois primeiros meses do ano. O resultado do INSS, por sua vez, foi um déficit de R$ 14,472 bilhões no mês passado. Já no acumulado do primeiro bimestre, o resultado foi negativo de R$ 28,926 bilhões. As receitas do governo tiveram em fevereiro alta real de 9,8% em relação a igual mês do ano passado. Já as despesas tiveram redução real de 0,6% na mesma base de comparação. No primeiro bimestre, as receitas do governo central avançaram 10,3% ante igual período de 2017, já descontada a inflação. Enquanto isso, as despesas subiram 0,6% na mesma base de comparação. (Noticias ao Minuto)

Partido Progressista deve perder comando da Caixa

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Com a possibilidade de o presidente da Caixa Econômica, Gilberto Occhi, assumir o Ministério da Saúde, o Partido Progressista deve perder o controle do banco, segundo o jornal Estado de S. Paulo.

De acordo com a publicação, o partido não terá o direito a indicar o sucessor de Occhi, embora ainda tente convencer o Planalto a mudar de ideia. Como compensação, o PP quer assegurar, pelo menos, o comando de alguma vice-presidência da Caixa. (Bahia.Ba)

Gastos de brasileiros no exterior chegaram a US$ 1,405 bilhões em fevereiro

Foto: Reprodução/ EBC

Os gastos de brasileiros em viagem ao exterior chegaram a US$ 1,405 bilhões, em fevereiro. Esse é o maior resultado para o mês desde 2015, quando ficou em US$ 1,490 bilhão. Os dados foram divulgados hoje (23) pelo Banco Central (BC).

No mesmo mês do ano passado, essas despesas ficaram em US$ 1,362 bilhão. As receitas de estrangeiros no Brasil ficaram em US$ 611 milhões, contra US$ 535 milhões em igual mês de 2017.

Com esses resultados, o saldo das viagens ficou negativo em US$ 794 milhões. Nos dois meses do ano, o déficit na conta de viagens ficou em US$ 2,017 bilhões. Nesse período, as despesas de brasileiros no exterior somaram US$ 3,407 bilhões. (Informações: Agência Brasil)

Polícia Federal faz operação para investigar Casa da Moeda

Foto: USP Imagens/ Fotos Públicas

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (23) a Operação Vícios 2, que investiga irregularidades em licitação na Casa da Moeda do Brasil. Agentes cumprem seis mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, São Paulo, São José dos Campos (SP), Itajubá (MG) e Brazópolis (MG).

“Há suspeita de que uma empresa privada tenha sido beneficiada no decorrer do procedimento licitatório destinado à aquisição de equipamentos utilizados na fabricação de cédulas de dinheiro. Os equipamentos foram adquiridos pela Casa da Moeda por mais de trezentos milhões de reais”, afirma a PF, em nota.

A PF investiga o suposto pagamento de propina para que houvesse interferência na licitação, ocorrida no ano de 2009. A operação é um desdobramento de investigação iniciada em 2015, quando foram cumpridos 25 mandados de busca e apreensão. (Informações: Noticias ao Minuto)

Banco Central corta juros pela 12ª vez e Selic cai para 6,5% ao ano

Foto: Marcos Santos/ USP Imagens

Na 12ª redução seguida da taxa básica de juros, o Banco Central decidiu, nesta quarta (21), cortar a Selic em 0,25 ponto percentual, para 6,5% ao ano. Com isso, o juro atinge um novo piso histórico no país. A decisão veio em linha com o esperado pelo mercado. Dos 43 analistas e casas ouvidos pela agência Bloomberg, 41 apostavam na queda da Selic para 6,5%. Apenas dois viam a taxa estável em 6,75% ao ano. O novo corte acontece em um cenário de inflação abaixo do piso da meta do BC, que é de 4,5% ao ano, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual. Em 2017, o IPCA avançou 2,95%, resultado mais baixo desde 1998. Em fevereiro, a inflação subiu para 0,32%, menor taxa para o mês desde ano 2000, quando ficou em 0,13%.

No acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA teve leve avanço para 2,86%, o que manteve o índice abaixo do piso da meta definido pelo Banco Central. “Não tem novidade. É uma inflação que surpreende reiteradamente para baixo e um nível de atividade que não está tão robusto. A redução de juros não está gerando uma queda no crédito para o tomador final, então é mais uma tentativa de o BC desobstruir o canal do crédito do Brasil”, avalia André Perfeito, economista-chefe da Gradual Investimentos. Ele vê espaço para aumentos de juros ainda neste ano, acompanhando as altas de juros nos Estados Unidos –além da alta desta quarta, a expectativa é que o Federal Reserve (Fed) faça outras três elevações ao longo de 2018.

“À medida que o ano for passando, a inflação deve voltar a avançar. O grupo alimentação não tem mais como cair. Tudo isso em conjunto pode permitir uma alta já na reunião de outubro, depois do segundo turno das eleições”, afirma. Analistas e consultorias ouvidas no Boletim Focus, do Banco Central, veem o IPCA a 3,63% no fim deste ano. Para 2019, a estimativa é de 4,20%. Além da inflação controlada, o Banco Central também tenta reanimar a economia brasileira. O IBC-Br, indicador de atividade econômica do BC, recuou 0,56% em janeiro. Em dezembro, o indicador havia registrado expansão de 1,16%, em número revisado pelo BC depois de divulgar antes uma alta maior, de 1,41%. (mais…)

‘O povo vai sofrer’, diz Luciano Ribeiro sobre governo ‘retomar’ controle da Coelba

Foto: Divulgação/ Ascom

Após o governador Rui Costa (PT) ameaçar tomar o comando da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) caso tenha mais um mandato, o líder da bancada da Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) afirmou nesta terça-feira (20), que se o governador administrar a Coelba do mesmo jeito que administra a Embasa “o povo da Bahia vai sofrer”.

“O estado tem muito mais coisas importantes para ele tomar providência. Não dá para o estado assumir mais uma atividade sem dar conta das outras”, declarou Ribeiro. Atualmente comandada pelo Grupo Neoenergia, a Coelba tem sido alvo de críticas de internautas. (Bahia Noticias)

Caixa vai reduzir taxa de juros de financiamento imobiliário com recursos da poupança

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Gilberto Occhi, disse nesta segunda-feira que o banco vai anunciar redução da taxa de juros de financiamento imobiliário com recursos da poupança. Ele afirmou que o Conselho da Caixa está estudando a movimentação de mercado e deve alinhar suas taxas. O anúncio dos índices deverá ser feito no máximo na semana que vem. O que percebemos é que na medida que alguns bancos privados anunciaram redução em suas taxas, atraíram demanda no mercado — observou Occhi, ao comentar matéria do GLOBO que revelou que a Caixa perdeu participação no setor de habitação com recursos da poupança nos primeiros meses do ano.

Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), a Caixa Econômica Federal perdeu a liderança no financiamento imobiliário nas linhas de crédito com recursos da poupança e foi ultrapassada por concorrentes pelo terceiro mês consecutivo. O presidente da Caixa revelou que o balanço do banco que, será divulgado nos próximos dias, será o melhor da história da instituição financeira e pela primeira vez na história, segundo ele, será melhor do o desempenho do Banco do Brasil. Ele disse que os dados foram resultado de ajustes, redução de custos e melhoria da eficiência do banco. Ainda de acordo com ele, a inadimplência do banco de 2017 também foi reduzida ficando em cerca de 2,5%, quando o índice de mercado está em 3,5%. Se não há como contar com seu “dono” aportar capital, você precisa promover ajustes.

Não contamos com dinheiro da Fazenda — ressaltou Occhi. Occhi defendeu novas formas de captação de recursos para financiamento habitacional, além do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e dos recursos da poupança. De acordo com ele, o Banco Central estuda proposta de criação da Letra Imobiliária Garantia (LIG). A Caixa Econômica tem um orçamento para 2018 de R$ 82,1 bilhões para investimentos habitacionais no país. Segundo Occhi, R$ 58,8 bilhões virão do FGTS, R$12,7 bilhões do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e o restante de outras fontes, segundo Occhi. O presidente da Caixa afirmou que a meta da Caixa e do governo é financiar cerca de 650 mil novas unidades habitacionais, especialmente do “Minha Casa, Minha Vida”, nos próximos anos. (O Globo)

Google se junta a Facebook e proíbe anúncios de criptomoedas

Foto: Michael Wensch/ Domínio Público

O Google irá proibir propagandas de criptomoedas e conteúdo relacionado, como consultoria comercial e carteiras eletrônicas das moedas digitais. A nova diretriz será implantada a partir de junho deste ano. O objetivo, afirma o Google, é proteger o “ecossistema dos anúncios”.

“Este ano, atualizamos várias políticas para abordar anúncios de produtos financeiros não regulamentados ou especulativos, como opções binárias, criptomoedas, mercados de câmbio de moedas estrangeiras e contratos de diferença”, afirma a companhia em seu blog.

A medida se assemelha ao feito pelo Facebook em janeiro ao proibir anúncios de criptomoedas, ofertas iniciais de moedas (ICOs, na sigla em inglês). “Os anúncios não devem promover produtos e serviços financeiros que são frequentemente associados a práticas promocionais desonestas ou enganosas”, disse a a empresa de Mark Zuckerberg em comunicado publicado na época. (Informações: Sputnik Brasil)

‘Pantera Negra’ entra na lista dos 20 filmes mais rentáveis da história

Foto: Divulgação

O filme ‘Pantera Negra’, de Ryan Coogler, atingiu a marca de US$ 1,106 bilhão arrecadados em bilheteria no mundo inteiro. Com isso, o longa-metragem da Marvel entra na lista dos 20 filmes mais rentáveis da história.

Segundo o site Omelete, o filme dirigido por Ryan Coogler superou títulos como ‘Transformers: A Era da Extinção’ (US$ 1,104 bilhão), ‘ Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge’ (US$ 1,08 bilhão) e ‘Toy Story 3’ (US$ 1,06 bilhão). O ranking da Box Office Mojo, no entanto, não considera variações na inflação, lidando apenas com os números absolutos.

Como os preços de bilhetes de cinema aumentaram consideravelmente nos últimos anos, fica mai comum que filmes cheguem ao patamar de US$ 1 bilhão. Na trama, o ator Chadwick Boseman interpreta o personagem principal. O elenco conta ainda com nomes como Lupita Nyong’o, Michael B. Jordan e Forest Whitaker. (Noticias ao Minuto)

É de ouro? Kopenhagen lança ovo da páscoa de R$ 1.100

Foto: Divulgação

Que ovo é esse, hambúrguer? Se R$ 50 é muito para um ovo de páscoa, imagine R$ 500. Ou melhor, imagine R$ 1.100 em chocolate! A Kopenhagen que sempre inova em seus produtos durante a páscoa, deixou os clientes boquiabertos com as apostas para 2018, o ovo Sweet Treasure, no valor de R$ 499,90 e um ovo especial em comemoração aos 90 anos da empresa custando apenas R$ 1.100. Mas por que um valor tão alto para um ovo da páscoa, vem ouro dentro? Quase isso.

O primeiro ovo, o Sweet Treasure traz 1kg de chocolate ao leite mesclado com damasco seco, avelã, castanha-de-caju e uva passas. Para tornar o valor “justo”, o doce vem ainda com 8 trufas finas da casa e acompanha 1 colar Pandora Floating Locket em prata de lei. Já o segundo ovo da páscoa é exclusivo e terá apenas 180 unidades no Brasil inteiro. Além de trazer o layout exclusivo dos 90 anos da marca, ele terá 5kg e será numerado por um calígrafo. O item, sabor chocolate ao leite com bombons sortidos, será vendido nas principais lojas da marca. Nas redes sociais o valor do produto assustou os internautas.

“Fiquei me perguntando se realmente tem alguem que comora isso pq gente, 500 reais é mt dinheiro pra dar num ovo só porque ele vem com um cordao HORRIBLE da pandora. Eu vou la na pandora com esse dinheiro e compro um mais bonito e ate mais barato se bobiar”, comentou uma internauta. “Mds, ovo de Páscoa tá tão caro que o brinde deveria ser um emprego”, brincou outro. “To pensando em vender um rim pra ver se consigo comprar 1 ovo da páscoa”, escreveu mais um. E ai, você fica com o ovo da páscoa ou prefere pegar o dinheiro e comprar uma barrinha? (Bahia.Ba)

Voltar à página inicial