web analytics

Vendas de combustíveis no Brasil caem 4,5% em 2016, aponta ANP

As vendas de combustíveis no Brasil caíram 4,5% em 2016 ante o ano anterior, para 135,436 bilhões de litros, na segunda retração anual consecutiva, informou nesta quinta-feira (16) a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Em 2015, o recuo foi de 1,9%.

As vendas de gasolina C, com adição de etanol, subiram 4,6%, enquanto as de diesel B, com adição de biodiesel, caíram 5,1%.

Já o consumo de etanol hidratado, que havia sido de 17,863 bilhões de litros em 2015, caiu para 14,586 bilhões de litros em 2016, uma redução de 18,3%.

Ainda segundo a ANP, as vendas de gás liquefeito de petróleo (GLP) aumentaram 1,1%, de 13,249 bilhões de litros para 13,398 bilhões de litros. O gás natural veicular (GNV) apresentou crescimento de 3,2 % no volume comercializado, passando de 4,820 milhões de m³/dia para 4,976 milhões de m³/dia.

Houve ainda redução na venda querosene de aviação (QAV) de 8%, de 7,355 bilhões de litros para 6,765 bilhões de litros. (G1)

Chamadas entre telefone fixo e móvel ficarão mais baratas a partir do dia 25

As chamadas entre telefone fixo e móvel ficarão até 19,25% mais baratas a partir do dia 25 de fevereiro, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). De acordo com o órgão, os valores das chamadas locais de fixo-móvel terão redução de 16,49% a 19,25%, dependendo da empresa de telefonia fixa.

Já as ligações interurbanas terão queda de 7,05% a 12,01%. O motivo da queda é a redução da tarifa de interconexão, que é o valor que uma empresa cobra da outra pelo uso da rede.

Em 2014, a Anatel aprovou um cronograma de redução da tarifa de interconexão, que se estenderá até 2019. Desde o ano passado essa tarifa é calculada pelo chamado modelo de custo. Assim, a Anatel calcula qual o custo real das empresas com equipamentos e organização interna. (G1)

Itaparica: Ilha do Medo pode ser vendida com promulgação de lei

O presidente da Câmara de Vereadores de Itaparica, Ítalo Mastríolo, na Região Metropolitana de Salvador, promulgou um projeto de lei que permite a venda da Ilha do Medo, localizada na Baía de Todos os Santos.

O projeto de lei foi aprovado no ano passado pelos vereadores do município, publicado no Diário Oficial do Legislativo municipal no dia 20 de janeiro de 2017 e prevê a utilização econômica e socioambiental do território que compõe a Ilha do Medo. Tal uso poderá ser feito por instituição pública ou privada que tenha interesse em explorar o espaço físico da pequena porção de terra itaparicana.

Segundo o projeto, a ocupação com fins econômicos e socioambiental é de interesse do município de Itaparica e poderá gerar emprego e renda. O texto também prevê que qualquer alteração na estrutura da ilha deverá respeitar os aspectos “florísticos e faunísticos” do local. (Bocão News)

Exportações baianas crescem 23,3% em comparação com janeiro de 2016

As exportações baianas atingiram US$ 564,4 milhões em janeiro, 23,3% acima de igual mês do ano passado e 13,1% em analogia a dezembro último, segundo pesquisa divulgada pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), nesta quinta-feira (9). A taxa de crescimento em janeiro é a maior desde 2012, quando houve incremento de 35,4%.

Contribuíram para a alta a baixa base de comparação e o aumento de 52,4% no volume físico embarcado, principalmente de derivados de petróleo, celulose e petroquímicos, bem como a recuperação dos preços de algumas commodities, como petróleo, soja e minérios.

O volume embarcado de derivados de petróleo cresceu 131,5% em janeiro, puxado principalmente pelos preços, que subiram em média 152,1%, na comparação com janeiro de 2016. A exportação de celulose também quase dobrou, com elevação de 77,2 %, enquanto que o volume de petroquímicos cresceu 49,3%. (Bahia.ba)

A ilha Trump está à venda… mas o preço não é nada simpático

Olhando para a ponta noroeste dos Estados Unidos, junto à fronteira do Estado de Washington, dos EUA, com o Canadá, é possível encontrar um pequeno ponto no mapa com um nome bem conhecido. Com raízes no final do século XIX, a ilha Trump saltou para as luzes da ribalta graças ao homónimo Donald e à respetiva família, novos ocupantes da Casa Branca.

Apesar das parecenças, a ilha nada tem a ver com a família Trump, que chegou aos Estados Unidos através do avô alemão de Donald Trump já depois das primeiras menções ao nome do território insular. Se for apoiante do novo presidente ou estiver disposto a esquecer o nome dado pela História, a ilha Trump está no mercado à procura de um novo dono, com atributos verdadeiramente impressionantes.

Aos 11,7 hectares e 1,52 kms de costa com água salgada da ilha junta-se um heliporto, uma doca preparada para receber barcos e hidroaviões e uma mansão com vários luxos que pode ver na galeria do Economia ao Minuto: seis quartos, seis casas de banho e muitos acabamentos de destaque em 743 metros quadrados de área. O preço? Uns ‘módicos’ 7,75 milhões de dólares (7,27 milhões de euros).

Segundo Washington Post, o agente imobiliário responsável pela venda terá enviado a informação sobre o anúncio ao próprio Donald Trump através de um conhecido, mas a falta de resposta indica que o presidente dos Estados Unidos não estará interessado em adquirir a propriedade por enquanto. (Noticias ao Minuto)

S&P eleva rating da Petrobras e muda perspectiva da nota para estável

A agência de classificação de risco Standard & Poor’s elevou o rating da estatal brasileira Petrobras nesta sexta-feira para “BB-“, ante “B+”, enquanto a perspectiva para a companhia foi alterada para “estável”, ante “negativa”.

A S&P elevou em um grau o rating citando melhoria da liquidez e estrutura de capital mais equilibrada da petroleira. No mês passado, a agência já havia indicado que poderia tomar tal decisão diante do avanço do processo de venda de ativos da, da nova política de preços e o equacionamento da dívida da estatal. (o Globo)

Taxa média de juros do cartão cai para 441,76% ao ano em janeiro, diz Anefac

As taxas de juros das operações de crédito caíram pelo segundo mês seguido em janeiro, na esteira da redução dos juros básicos (Selic), segundo a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

No caso do cartão de crédito, a taxa média caiu de 453,74% ao ano em dezembro, para 441,76%, em janeiro. A taxa deste mês é a menor desde abril de 2016, de acordo com o levantamento. Também foram reduzidos os juros do cheque especial, de 314,51% ao ano para 309,24%, e do comércio, de 98,50% ao ano para 97,61%.

Considerando todas as linhas de crédito para a pessoa física, a taxa de juros média geral passou de 8,16% ao mês (156,33% ao ano) em dezembro de 2016 para 8,12% ao mês (155,20% ao ano) em janeiro de 2017 – a menor desde julho de 2016.

No caso das linhas para pessoa jurídica, a taxa de juros média geral também caiu, de 74,32% ao ano em dezembro de 2016 para 73,92% ao ano, em janeiro de 2017 – a menor taxa de juros desde junho de 2016.

Das três linhas de crédito pesquisadas, duas tiveram suas taxas de juros reduzidas no mês (capital de giro e desconto de duplicatas) e uma teve sua taxa de juros elevada no mês (conta garantida). (Editado por Tribuna do Recôncavo | Fonte: G1)

Dólar fecha abaixo de R$ 3,12 e alcança menor valor em três meses

Em um dia de calma no mercado financeiro, a moeda norte-americana teve forte queda e voltou a alcançar o menor valor em três meses. O dólar comercial encerrou esta terça-feira (7) vendido a R$ 3,117, com queda de R$ 0,009 (-0,28%). A cotação está no menor nível desde 25 de outubro (R$ 3,107). O dólar abriu em alta, mas inverteu a tendência e passou a operar em baixa durante a tarde.

A divisa acumula queda de 1,1% em fevereiro e de 4,1% em 2017. No mercado interno, a atuação do Banco Central foi insuficiente para conter a queda do dólar. Este mês, a autoridade monetária está rolando (renovando) menos contratos de swap cambial tradicional, que equivalem à venda de dólares no mercado futuro. Ao rolar menos esse tipo de contrato, o BC, em tese, diminui o ritmo de queda do dólar.

No mercado de ações, o dia foi de ganhos. Após uma forte queda ontem, o índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, encerrou esta terça com alta de 0,32%, aos 64.199 pontos. As ações da Petrobras, as mais negociadas, no entanto, tiveram desempenho oposto. Os papéis da estatal caíram 1,25% (papéis ordinários, com direito a voto em assembleia de acionistas) e 1,74% (papéis preferenciais, com prioridade na distribuição de dividendos). (Informações: Agência Brasil)

PIB baiano cai 6,4% e está entre os piores do país em 2016

Os dois anos de recessão do Brasil, fizeram que a economia da Bahia e de mais 11 estados e o Distrito Federal retroceder ao mesmo patamar do início da década. Conforme o estudo da Tendências Consultoria Integrada publicada no jornal O Globo desta segunda-feira (06/02), o estado foi um dos que mais sofreram com a crise política que fez o país ficar com a economia instável.

Segundo números da pesquisa, o PIB da Bahia em 2015 estava negativo em 2,7%. Em 2016, o PIB do Estado chegou a fechar negativamente em 6,4%, se sobressaindo com um dos piores índices de economia do país. O estado ficou à frente, porém, do Espírito Santo que fechou 2016 com 9,9% negativo e Piauí com 7,7% negativo. Apenas o Amazonas e o Amapá conseguiram superar a crise no ano passado. O amazonas saiu de 7,4% negativo para 5,3%. E o Amapá de 7,2% negativo para 4,6%. (Editado por Tribuna do Recôncavo | Bahia.ba)

Claudia Leitte vai pedir revisão de valor que deve à União

Devendo R$ 1,27 milhão ao governo, Claudia Leitte pretende recorrer ao Tribunal de Contas da União (TCU).

De acordo com o advogado da Produtora CIEL, empresa de Claudia Leitte, pretende pedir uma revisão da multa de 1,27 milhão de reais que a cantora precisa restituir aos cofres públicos.

Claudia Leitte perdeu o prazo para devolver o dinheiro captado pela Lei Rouanet para uma turnê que teve a sua prestação de contas reprovada pelo Ministério da Cultura (MinC) no ano passado. Por isso, o MinC enviou o processo para o Tribunal de Contas da União (TCU), que tomará as medidas legais necessárias para reaver o dinheiro, incluindo até um eventual bloqueio de bens da artista. (Bocão News)

Redução do preço da gasolina não chega nos postos, aponta ANP

O preço da gasolina nos postos de gasolina subiu nesta semana, segundo levantamento divulgado nesta sexta-feira (03/02) pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o que aponta que a redução dos preços cobrados pela Petrobras nas refinarias ainda não chegou ao consumidor.

Segundo a pesquisa, o valor médio do litro da gasolina no país subiu de R$ 3,765 na semana passada para R$ 3,766 nesta semana. Na última pesquisa divulgada antes do reajuste anunciado pela Petrobras, o preço médio estava em R$ 3,774 – maior valor desde o início da nova política de preços da estatal, anunciada em outubro. Em duas semanas o recuo foi de apenas 0,22%.

Na última sexta-feira (27/01), os preços da gasolina e do diesel cobrados pela Petrobras nas refinarias foram reduzidos, respectivamente em 1,4% e 5,1%. Pelos cálculos da estatal, se o reajuste for integralmente repassado ao consumidor, o preço da gasolina nas bombas cairá em 0,4%, ou R$ 0,02 por litro. Já o valor do diesel diminuirá 2,6%, ou R$ 0,08 por litro. (Editado por Tribuna do Recôncavo | G1)

Balanço 2016: Mercado financeiro fecha com queda de 20% em fusões e aquisições

Em 2016, ocorreram 597 fusões e aquisições no Brasil, aponta levantamento da PwC Brasil. O número total verificado no ano passado é 20% inferior ao registrado em 2015, quando foram anunciadas 742 transações. Somente em dezembro, foram 55 negócios, número 18% menor ao registrado em dezembro do ano passado (67).

Das 597 transações anunciadas em 2016, 182 tiveram seu valor divulgado, somando USD 37,65 bilhões – USD 2,8 bilhões a mais que em 2015. Desse total, nove apresentaram valor de compra acima de USD 1 bilhão, totalizando USD 20,33 bilhões. Já as fusões e aquisições de até USD 100 milhões foram a maioria entre os negócios com valor divulgado (125 transações nesse perfil, que representam 69%).

Mantendo a tendência, a Região Sudeste do País encerrou o ano passado com 64% da preferência de investimento em território nacional, o equivalente a 380 transações. O estado de São Paulo concentrou 9% das transações, representado por 290 negociações, enquanto em 2015 ocorreram 417 transações. Em dezembro foram concluídas 41 fusões e aquisições no Sudeste, redução de 18% em comparação ao mesmo período do ano passado. (PWC) (mais…)

Preço da gasolina cai após 3 semanas seguidas de alta, diz ANP

Após 3 altas semanais seguidas, o preço da gasolina nos postos de gasolina caiu na semana encerrada no dia 28 de janeiro. Segundo levantamento da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o valor médio do litro da gasolina no país recuou de R$ 3,774 para R$ 3,765, uma queda de 0,24%.

O preço da gasolina vinha em trajetória de alta nas últimas semanas, puxadas em parte pelo reajuste feito pela Petrobras em dezembro. Apenas em sete semanas, o valor do combustível subiu 2,95%. Em todo o ano de 2016, o preço da gasolina se apreciou 3,3%, abaixo da inflação. (G1)

Veja Aqui o preço médio da gasolina na última semana, por capital: (mais…)

Patrões que se atrasem no pagamento da TSU terão multas a pagar

O Ministério do Trabalho informou, esta terça-feira, que “estão reunidas as condições” necessárias para a aplicação de multas às entidades empregadoras que se atrasem no pagamento das contribuições à Segurança Social, quer esteja em causa a parte que é sua responsabilidade (23,75%) ou a parte que é retida ao trabalhador (11%).

O Código Contributivo que entrou em vigor em 2011 determina que “o pagamento das contribuições deve ser efetuado entre os dias 10 e 20 do mês seguinte àquele a que as contribuições dizem respeito”.

Assim sendo, “o não pagamento das contribuições naquele prazo constitui contraordenação leve, se cumprida no prazo de 30 dias, e grave nas demais situações, implicando o pagamento de uma coima que pode ir dos 50 euros aos 500 euros, no caso das contraordenações leves, e dos 300 euros aos 2.400 euros, nas contraordenações graves (artigos 42.º e 233.º do Código Contributivo)”.Continue Lendo >> (mais…)

Gastos com juros do cartão de crédito podem cair pela metade com novas regras

A economia do consumidor com a nova regra que limita a utilização do rotativo do cartão de crédito poderá chegar a quase 50% em 12 meses. Essa é a diferença que o cliente deixará de pagar ao migrar dos juros mais caros do crédito rotativo para as taxas mais baixas do crédito parcelado.

A partir de abril, as administradoras de cartão de crédito não poderão mais financiar o saldo devedor dos clientes por meio do crédito rotativo por mais de um mês, conforme decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN) tomada na última quinta-feira (26).

De acordo com o levantamento mais recente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), os juros médios do crédito rotativo – cobrado de quem não paga a totalidade da fatura do cartão de crédito – chegavam a 15,33% ao mês no fim de dezembro. Para o crédito parcelado, a taxa média estava em 8% ao mês. (Agência Brasil) (mais…)

Efígie do Papa vai desaparecer dos euros do Vaticano

As oito novas faces nacionais das moedas (entre 01 cêntimo e dois euros) foram publicadas a 24 de janeiro no Jornal Oficial da União Europeia. O reverso é o mesmo de todas as outras moedas da zona euro.

O Papa Francisco, muitas vezes chamado de “Papa dos pobres”, critica constantemente o poder negativo do dinheiro. Devido à sua raridade, os euros do Vaticano, que são legais em todos os países da zona euro, são geralmente vendidos e comprados no mercado especulativo dos colecionadores.

Os acordos assinados entre a União Monetária Europeia e Itália — de quem o Vaticano depende para cunhar moedas — têm uma quota monetária específica para o Vaticano. A primeira série anual do ‘Euro do Papa’ foi posta à venda pela primeira vez a 01 de março de 2002, com a imagem de João Paulo II. (Noticias ao Minuto)

Voltar à página inicial