Peça sobre questões sociais ligadas ao lixo vai ser encenada em Salvador de 5 a 9/10

O espetáculo “Lixo à Vista! Uma Aventura Pirata” é apresentado pelo projeto cultural “Terra à Vista” no Espaço Cultural da Barroquinha, em Salvador, entre os dias 5 e 9 de outubro. As sessões são gratuitas, com reserva, e ocorrem em horários pela manhã e pela tarde.

A peça aborda a questão social relacionada à produção e à reciclagem do lixo, proporcionando ao público a junção do lúdico com a conscientização. De acordo com a sinopse do espetáculo, os irmãos Miguel, Manuela e Mateus precisam tomar uma difícil decisão: vender ou não a casa dos avós. Antes de decidirem eles retornam ao sótão da casa para viverem uma última aventura.

Ao encontrarem um mapa que haviam feito e escondido em um baú, ainda quando crianças, eles resolvem seguir o mapa para ver como o caminho indicado pelos “piratas” estava depois de tantos anos. Porém, os irmãos se deparam com uma triste realidade: lixo à vista! (G1 Bahia) (mais…)

Documentário sobre terreiros será lançado na terça-feira (27) em Cachoeira

A expressão da religiosidade em dez terreiros de candomblé é matéria-prima para o documentário ‘Terreiros de Candomblé de Cachoeira e São Félix’, produzido pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), a ser lançado na terça-feira (27), dia de São Cosme e Damião, às 18h, no Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha (Praça Castro Alves, s/nº), em Salvador. O lançamento integra as ações comemorativas do Cinquentenário do IPAC que acontecem até setembro de 2017, com atividades e projetos anunciados a cada mês.

A exibição será gratuita e terá uma única sessão. Para assistir ao documentário no Glauber Rocha, serão disponibilizados gratuitamente no local 150 ingressos, a partir das 17h do mesmo dia. Cada pessoa terá direito a apenas uma entrada. Completada a lotação da sala, não serão distribuídos mais convites. Após o lançamento, o documentário será exibido em outubro no Palacete das Artes (Graça), sempre às quintas-feiras, às 17h, exceto no dia 20 desse mês.

Com 52 minutos, o vídeo no formato Full HD é fruto da pesquisa do IPAC em dez terreiros de candomblé na região do Recôncavo baiano que também gerou um livro lançado no ano passado (2015) na FLICA (Feira Literária Internacional da Bahia). “O livro do IPAC é um documento iconográfico maravilhoso, que nos dá dimensão da importância dos candomblés de São Félix e Cachoeira”, relatou o secretário Jorge Portugal, durante o lançamento da versão impressa na FLICA 2015. (ASCOM) (mais…)

Estado da Bahia apoia dezenas de instituições e museus, diz Jorge Portugal

A abertura da 10ª Primavera de Museus nesta terça (20) no Palácio da Aclamação, em Salvador, foi marcada por chamamento do secretário de Cultura (SecultBA), Jorge Portugal, para que a sociedade conheça a amplitude das ações da secretaria na área museológica da Bahia.

O secretário lembrou que, além dos museus estaduais, como o MAM (Museu de Arte Moderna), MAB (Museu de Arte) e Palacete das Artes, a SecultBA também apoia financeiramente outros equipamentos como o Museu da Misericórdia da Santa Casa, a Fundação Casa de Jorge Amado e Museu Costa Pinto, todas instituições privadas, via Fundo de Cultura.

A continuidade da campanha #MusEuCurto até o verão de 2017 também foi anunciada pelo secretário. “Com a campanha no ano passado (2015) e a Semana de Museus em maio deste ano, aumentamos em 60% a frequência dos museus”, afirma Portugal. Leia Mais »
(mais…)

Teatro Dona Canô em Santo Amaro recebe o show de Dão Dão e Caravanablack

O Teatro Dona Canô em Santo Amaro recebe o show ‘Nobre Balanço’ do cantor e compositor Dão nesta quinta-feira (25/08). A apresentação integra o projeto Circuito Bahia, já apresentado em Salvador e Porto Seguro e que prevê circulação em Ilhéus, Itabuna e Vitória da Conquista.

O projeto pretende proporcionar ao público acesso o trabalho de Dão, artista que valoriza através de suas composições e interpretação singulares, gêneros musicais brasileiros e afro-baianos que também trás influências da música contemporânea mundial.

O Projeto Circuito Bahia – Nobre Balanço tem o apoio financeiro da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBa), através do Fundo de Cultura do Estado, Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (Sefaz) e é uma realização da Plataforma de Lançamento.

Espaços Culturais da SecultBA – A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia mantém 17 espaços culturais geridos pela Diretoria de Espaços Culturais (DEC), e localizados em diversos Territórios de Identidade. Destes, cinco encontram-se em Salvador – Cine Teatro Solar Boa Vista, Espaço Xisto Bahia, Casa da Música de Itapuã, Centro de Cultura de Plataforma e Espaço Cultural Alagados – e 12 nos municípios de Alagoinhas, Feira de Santana, Guanambi, Itabuna, Jequié, Juazeiro, Lauro de Freitas, Mutuípe, Porto Seguro, Santo Amaro, Valença e Vitória da Conquista. Para mais informações, acesse: www.espacosculturais.wordpress.com. (mais…)

Abertas inscrições para Oficina de Elaboração de Projetos em Cultura Popular

Em parceria com o programa ‘Narrativas Patrimoniais’, estão abertas até segunda-feira (22/08), as inscrições para a ‘Oficina de Elaboração de Projetos para o Patrimônio Material e Imaterial’, que será ministrado pela coordenadora do Bahia Criativa, Luciana Vasconcelos, das 9h às 18h, no Museu Udo Knoff (Pelourinho). A atividade acontece na próxima terça-feira (23).

A oficina é fruto da parceria de três instâncias da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA): o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC), o Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) e o Bahia Criativa – escritório público de atendimento e suporte a profissionais e empreendedores dos setores criativos. O programa Narrativas Patrimoniais propõe diálogo, fomento e qualificação para todas as pessoas interessadas em elaborar projetos culturais.

INSCRIÇÕES –  acontece via formulário (https://goo.gl/mYA62K) até segunda-feira (22). Depois de preenchidos os formulários devem ser enviados para o endereço narrativaspatrimoniais@ipac.ba.gov.br. Informações, via telefone (71) 3117-7482 ou no endereço narrativaspatrimoniais@ipac.ba.gov.br(mais…)

Rede de Orquestras da Bahia acontece até este sábado (20) no Pelourinho

O 4º Encontro da Rede de Projetos Orquestrais da Bahia acontece até este sábado (20/08) no Solar Ferrão (Rua Gregório de Matos 45), no Pelourinho em Salvador. O evento tem palestras, debates e oficinas. As atividades ocorrem a partir das 9h. A Rede objetiva oferecer condições de profissionalização a gestores e jovens músicos através de oficinas e consultorias.

O objetivo do encontro é estabelecer diálogo entre as políticas públicas no campo da educação, desenvolvimento social e cultura e os projetos de ensino e prática musical coletiva. “Nossa intenção é destacar aspectos dessas políticas que dialoguem com nossa área, e como os gestores podem potencializar os projetos nos territórios onde atuam”, ressalta Adriano Cenci, coordenador da Rede.

Na programação, mesas temáticas e oficinas com experiências sobre mobilização de recursos financeiros, financiamento coletivo e economia criativa.  (mais…)

É neste domingo (18) o Expande Graffiti em Santo Antônio de Jesus

O Expande Graffiti é um evento de arte-educação que celebra o HIP HOP como instrumento de diálogo entre mente, corpo e coração. Acontecerá no dia 18 de Setembro na Rua Marieta Martins (Bairro da Rádio Clube), em Santo Antônio de Jesus.

Esta será a segunda edição do evento, que mantêm a espinha dorsal da proposta: “aproveitar o dia com grafite, discotecagem, rap e break, além de todos os diálogos possíveis entre pessoas que dançam, pintam, discotecam e rimam, ocupando a rua e interagindo com o público local”. A primeira edição do evento aconteceu em novembro de 2015 no Colégio Luiz Viana e na Praça Gildete Mascarenhas na Urbis I.

O Expande Graffiti é uma manifestação cultural de caráter coletivo, popular, aberto e gratuito, que possui a finalidade de promover a integração e celebração sociocultural, como também a divulgação e propagação da produção artística do HIP HOP local, em suas múltiplas linguagens, manifestações e formatos. (Uanderson Alves/Tribuna do Recôncavo) (mais…)

“Concurso Nacional Novos Poetas”, veja como participar!

Estão abertas as inscrições para o Concurso Nacional Novos Poetas, Prêmio CNNP 2016. Podem participar do concurso todos os brasileiros natos ou naturalizados com idade igual ou superior a 16 anos. Cada candidato pode inscrever-se com até dois poemas de sua autoria, com texto em língua portuguesa.

O tema é livre, assim como o gênero lírico escolhido. Serão 250 poemas classificados. A classificação dos poemas resultará no livro, Prêmio CNNP 2016. Antologia Poética. O Concurso Literário e uma importante iniciativa de produção e distribuição cultural, alcançando o grande público, escolas e faculdades.

Inscrições gratuitas até 05 de setembro 2016 pelo site: (www.cnnp.com.br). (Realização: Vivara Editora Nacional | Apoio Cultural: Revista Universidade) (mais…)

Encontro de Cheganças acontece até domingo (7) em Saubara

Promover a salvaguarda e conseguir proteção oficial com o registro de Patrimônio Cultural Imaterial das ‘Cheganças e Marujadas’ na Bahia. Esses são alguns dos objetivos do 4º Encontro de Cheganças da Bahia, que acontece até este domingo (7) em Saubara, cidade localizada a 108 km de Salvador, às margens da Baía de Todos os Santos.

“O encontro reúne os vários grupos existentes no estado para que atuem e comemorem juntos. É importante trazer à cena agentes que geralmente ficam no anonimato. É bom também para dar visibilidade ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC), que está nos apoiando e pesquisando essa manifestação popular”, explica o coordenador do evento, Rosildo Rosário.

Foi a Associação Chegança de Marujos Fragata Brasileiro de Saubara, da qual Rosildo Rosário é presidente, que solicitou o registro das cheganças e marujadas ao IPAC. “Como existem muitas em toda a Bahia, a ideia é elaborarmos um dossiê único com pesquisa documental, imagética e entrevistas, comprovando a importância dessa manifestação no estado para torná-la Patrimônio Imaterial”, diz o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira.

O diretor de Preservação Cultural do IPAC, Roberto Pellegrino, informa que após os estudos, o dossiê será encaminhado pela SecultBA para o Conselho Estadual de Cultura, que aprova ou não a proposta. Caso positivo, o governador analisa e decide pela publicação no Diário Oficial.

As pesquisas e estudos para um dossiê podem levar de seis meses até três anos, a depender da extensão geográfica de onde essa manifestação ocorra, da facilidade de documentos históricos e da complexidade do tema. Segundo historiadores, as ‘Cheganças e Marujadas’ representam façanhas marítimas dos portugueses nos séculos XV, XVI, XVII e XVIII, misturando tradições ibéricas e culturas locais. Por isso, as dramatizações com fusões de costumes, inclusão de ‘cristãos’ e ‘mouros’, ‘guerras’, ‘conquistas’, ‘vitórias’ e outras características. (ASCOM) Marujada-Foto-Chegança-Fragata-Brasileira-SaubaraBA

(mais…)

Santoantoniense Laiana Vieira realiza exposição no SESC de 16 à 18/08

A artista santoantoniense Laiana Vieira realiza no SESC em Santo Antônio de Jesus, de 16 à 18/08, a exposição “Novos Itinerários”. O trabalho da artista é composto por Ilustração, fotografia e literatura. Além da exposição, Laiana vai ministrar uma oficina de Ilustração e Criatividade no próximo dia 03 de setembro, no turno da manhã e da tarde, voltada para jovens a partir de 12 anos, cuja inscrição será gratuita. (Tribuna do Recôncavo)

layana 2 (mais…)

Catálogo de Brejões mostra arte, arquitetura e história dessa região da Bahia

Aconteceu nesta sexta-feira (29/07) o lançamento do catálogo ‘Casarões do Vale: História, Patrimônio e Arte’ em Brejões. O projeto dá visibilidade ao patrimônio arquitetônico e histórico de Amargosa, Brejões, Santa Inês e Ubaíra. O objetivo foi incentivar a preservação e valorização do patrimônio, através da análise e registro da arquitetura dos casarões e da memória coletiva em torno desses espaços.

O projeto foi financiado pelos Editais do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) da secretaria estadual de Cultura (SecultBA), com recursos do Fundo de Cultura e participação da Sefaz. A pesquisa e a produção foram feitas voluntariamente pela historiadora Maria Fernanda Marques. “O catálogo tem abordagens teóricas e metodológicas da história local e regional, assim como, da história da arte e arquitetura, utilizando documentação híbrida”, afirma Maria Fernanda.

O livro reúne riquezas do Vale do Jiquiriçá, principalmente através de fotografias. “Foram captadas imagens contemporâneas do patrimônio edificado, que são fonte documental para futuros estudos”, diz a historiadora. As imagens mostram ainda as mudanças e permanências dos imóveis.

O livro será distribuído em bibliotecas, escolas e outras instituições do Vale do Jiquiriçá. Até dezembro a equipe do projeto, o IPAC e a biblioteca virtual ‘Consuelo Pondé’, deixam o catálogo disponível na internet. Mais informações via telefone (71) 3117-7482. (Editado por Tribuna do Recôncavo | Informações: ASCOM)

(mais…)

Seminário em Cachoeira debaterá sobre as mulheres negras no cinema brasileiro

Com o intuito de debater temas como auto representação da população negra na produção cinematográfica, em especial, realizadas por mulheres negras e combater o racismo, alunas e alunos negros do curso de cinema, em parceria com o Cineclube Mário Gusmão e o Centro Afro Carioca de Cinema Zózimo Bulbul, realizam o “II Seminário Cinema Negro Brasileiro”.

O evento será realizado no dia 21 de julho, durante o dia no Auditório da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia-UFRB, com debate final no Cinetheatro Cachoeirano, as atividades serão encerradas com a noite cultural às 22hs na Cabana do Doidão Bahia.

O objetivo do seminário é apresentar o cinema negro produzido e protagonizado pelas mulheres, entender e traçar caminhos tanto de construção de imagem quanto de discursos negros, partindo sobretudo das mulheres, e, ainda, discutir sobre políticas públicas no âmbito do cinema e audiovisual. (ASCOM) (mais…)

Preservação do Patrimônio Cultural é tema de curso de formação em Salinas da Margarida

Durante os meses de maio, junho e julho aconteceu em Salinas da Margarida o Curso de Educação Patrimonial, iniciativa da Secretaria Municipal de Educação, a qual foi ministrado pela Professora Ana Carla Nunes, que é Historiadora, Turismóloga, Especialista em Educação e Cultura e Mestranda em Educação.

A proposta era  intercalar momentos de aulas teóricas e práticas, apresentando aos cursistas o vasto Patrimônio Cultural Brasileiro e a sua importância para as atividades turísticas no Brasil, na Bahia e na Cidade de Salinas da Margarida, ao qual os alunos residem.

Para possibilitar o entendimento da importância do Patrimônio Cultural (Material e Imaterial) foram propostos nas aulas discussões dos conceitos, abordagens sobre sua preservação, sua relevância e uma maior sensibilização dos cursistas.

DSC09317A formação teve como metodologia, aulas teóricas, oficinas formativas e atividades práticas, integrando teoria- vivência- prática. Desta forma, possibilitou um olhar de conhecimento, educação, preservação e valorização dos patrimônios culturais por parte dos moradores da região.

Nas visitas à Cidade de Encarnação, distrito de Salinas da Margarida, os alunos puderam conhecer a produção artesanal de diversos tipos de beijus do Sr. Bernardo e Família; visitaram o Terreiro Jiquiriçá da Mãe Jussara (Pequena) e puderam conversar com o Mestre Josildo do Estaleiro Naval de Encarnação. Os alunos  também vivenciaram na Igreja de Nossa Senhora de Encarnação as cantorias e as orações de Nossa Senhora do Rosário entoadas por Dona Robenice, o pandeirista Deni e a Prof. Nicel, moradoras e conhecedoras das histórias da Igreja Católica da Cidade.

Na visita à Conceição de Salinas, outro distrito da cidade, os alunos conhecerão os patrimônios culturais da cidade e entrevistaram  Mãe Silvinha, Sr Boni e Dona Maria, casal de pescador e marisqueira tradicional da região. Visitaram o terreiro de Candomblé de Rita e a Igreja Batista de Conceição (Pastor Silas), conversaram com D. Maria da Festa de São Roque,  e por fim puderam conhecer tia Zéo, rezadeira antiga e bastante conhecida da região.

DSC00738Na visita à Cairú, Barra do Paraguaçu e Salinas da Margarida os alunos puderam conhecer além da diversidade do patrimônio cultural como casarões, igrejas e praças, também tiveram contato com as tradições orais tais como: A Barquinha mantidas pelo Mestre Dilsinho, ouviram as histórias de Dona Roselinda moradora e pesquisadora antiga da região, conheceram D. Carmen Silva, D. Fia e D. Mundinha,  Sambadeiras famosas do distrito. Tiveram contato com D. Nardinha, D. Lourença e D. Domingas, todas responsáveis por manter, preservar e legar as tradições da região, o que possibilitaram que os alunos conhecessem e mergulhassem nas histórias orais que compõem a vastidão do patrimônio cultural existente em Salinas da Margarida.

O curso terá como culminância uma viagem a Cidade histórica de Cachoeira, prevista para o mês de agosto. Nessa viagem pedagógica, os alunos terão a oportunidade de vivenciar e compreender a importância da cultura, na manutenção das tradições dos povos em nosso Estado, além disso, poderão relatar essa experiência formativa no aniversário da Cidade, dia 27/07 que será organizado pela Prefeitura Municipal de Salinas da Margarida. (ASCOM)Patrimonial em Salinas

Leonardo Sakamoto lança livro no Teatro Dona Canô em Santo Amaro

O jornalista Leonardo Sakamoto lança na manhã desta segunda-feira (18/07) o livro “O que aprendi sendo xingado na internet”. Fruto de uma parceria da editora LeYa com o Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (Cecult-UFRB).

O evento acontece às 10 horas no Teatro Dona Canô e contará com mesa de debates com os professores Felipe Milanez e Nadja Vladi, ex- coordenadora da Revista Muito, do jornal A Tarde.

Inspirado pela experiência que o jornalista paulista teve em seu blog, “O que aprendi sendo xingado na internet” é um manual de sobrevivência nas redes sociais, fruto das habilidades desenvolvidas por Sakamoto em lidar com os mais diversos tipos de reações ao conteúdo publicado diariamente por ele no portal UOL, desde comentários grosseiros às ameaças de agressão física.

O debate, que irá problematizar as relações entre as redes sociais e a crise da democracia no Brasil será mediado pela professora da UFRB Nadja Vladi e terá, além de Sakamoto, a participação do professor Danillo Barata, diretor do Cecult, e comentários do professor Felipe Milanez, também da UFRB. (ASCOM) (mais…)

Conheça as origens das festas juninas

É impossível dizer que as festas do mês de junho não sejam uma das mais importantes manifestações culturais do Brasil. Populares ao extremo, ainda mais no nordeste brasileiro, elas encontraram um povo festeiro (em grande parte, descendente dos indígenas) que tornou o casamento das tradições portuguesas e brasileiras perfeito.

Mas engana-se quem achar que é uma celebração religiosa ou puramente portuguesa. Ela remonta de tempos anteriores ao nascimento de Cristo, de festas pagãs de algumas tribos nômades também. São poucas as manifestações populares, no Brasil, que sejam genuinamente locais, nem o jogo do bicho – se for pesquisar tudo o que você precisa saber sobre as loterias internacionais – é 100% nacional.

Origem francesa

As quadrilhas são adaptações de uma dança francesa muito tradicional, o Minueto.  2 casais (squadra ou quadrille) dançavam passos coreografados ao som de músicas clássicas, uma manifestação típica da elite do país. Ainda sobraram desta época, palavras como anarriê, alavantu ou sangé, por exemplo.

As fogueiras são provenientes dos povos pagãos, que as acendiam praticamente no mesmo período do ano que se comemora o São João, para comemorar o tempo de colheita, a fertilidade e  o final da temporada de plantação. Gregos, egípcios e celtas seguiam o calendário solar e comemoravam sempre com muita festa, danças e bebidas.

Decoração São João 2016Portugal relacionou as festividades com os santos católicos, São João, Santo Antônio e São Pedro, todos comemorados no mês de junho e as festas ganharam o tom local, aqui no Brasil, com o acréscimo da culinária indígena. Muitos pratos são confeccionados com milho, que é um alimento natural das Américas.

Ainda há certos elementos de origem espanhola e até holandesa, que dominaram pequenas porções de terra na região nordeste, ainda no tempo da colonização, como São Luís, Salvador e Recife, sem esquecer da tradicional alegria das festas africanas. Assim como o Brasil, a formação da festa junina  é multicultural e multinacional.  (mais…)

Voltar à página inicial