A Central de Trabalhadores da Argentina e a Confederação Geral do Trabalho, opositora que concentra a maioria dos sindicatos da área de transportes do país, convocaram para esta terça-feira (31) uma greve-geral que irá afetar a maioria dos voos internacionais.

A situação só voltará ao normal quando o governo corrigir o limite de isenção do imposto sobre salários, que atualmente está em 15 mil pesos (cerca de R$ 5,5 mil).

A TAM informou que os voos com destino e vindos das cidades argentinas de Córdoba, Rosário e Buenos Aires serão cancelados devido à paralisação. Bancos, ônibus, trens e caminhões estão sem funcionar desde a meia-noite desta segunda. (metro1)