Diante do cenário de recorrentes atrasos salariais, os servidores municipais do município de São Felipe, no Recôncavo baiano, aprovaram um indicativo de greve geral por tempo indeterminado a partir da próxima sexta-feira (16). A decisão foi tomada durante assembleia da categorial realizada na última segunda-feira (12).

Em nota, o Sindicato dos Servidores Municipais de São Felipe informou estar ciente de que o movimento poderia deixar sequelas, mas que o departamento jurídico e a direção da entidade estão aguardando uma resposta da prefeitura apresentando respostas às reivindicações. Além dos salários, diversas remunerações não estão sendo pagas.

A oposição de São Felipe, que tem cobrado da prefeitura mais rigor no pagamento dos servidores, apoia o movimento dos servidores. Vale lembrar que, recentemente, os professores da rede municipal decidiram entrar em greve por conta dos atrasos no pagamento dos salários. Ele voltaram ao trabalho após o pagamento dos salários de setembro, mas mantiveram o estado de greve.

“Os servidores enfrentam uma situação caótica em São Felipe. Além dos problemas de gestão, ainda sofrem com os atrasos nos salários, que é um problema muito grave, pois as contas não param de chegar. Isso afeta a produtividade dos servidores e a execução os serviços públicos. Nossos servidores merecem maior valorização”, pondera o vereador João Vitor.

O ex-secretário Pedro Júnior lembra que a economia da cidade é prejudicada com os atrasos dos salários. “Se os servidores não têm dinheiro, o comércio da cidade fica prejudicado, porque as pessoas acabam comprando menos. É uma verdadeira bola de neve, causada por falta de gestão e controle de gastos”, diz Pedro, que hoje atua como consultor na área da Educação em toda a Bahia.

ASCOM