O comando do PT definiu nesta quarta-feira (1º) seus critérios de distribuição de sua cota do Fundo Especial de Financiamento de Campanha. Pela fórmula, a campanha presidencial será contemplada com, pelo menos, R$ 45 milhões, representando 21,22% dos R$ 212,2 milhões destinados ao partido.

Para os candidatos à Câmara dos Deputados serão distribuídos R$ 74,3 milhões, correspondentes a 35% da cota petista. Outros R$ 31,8 milhões, ou seja, 15% do total, estarão reservados para as campanhas de governador. O rateio prevê a destinação de R$ 25,4 milhões às candidaturas ao Senado (12%). Para as campanhas às assembleias legislativas, a cota mínima será de 5%: R$ 10 milhões.

O partido definiu ainda escalas para distribuição de recursos, privilegiando, em primeiro lugar, atuais ocupantes de cargo. Candidatos com potencial eleitoral e dirigentes partidários serão prestigiados.  O PT fixará modelos de destinação segundo densidade populacional dos estados. A sigla tem como pré-candidato à Presidência o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde abril. (Bahia Noticias)