Os professores da Rede Municipal de Jaguaripe, no Recôncavo Baiano, foram as ruas nesta terça-feira (02/08) reivindicar alguns direitos que estão sendo violados. Segundo os lideres do movimento, o AC dos profissionais do Nível III, que atuam no fundamental II foi cortado e os profissionais do Fundamental I que foram aprovados no concurso para 20h estão tendo que trabalhar 23h para cumprir o AC.

Durante uma concentração feita em frente Câmara Municipal o professor Adilson de Almeida solicitou uma posição da Secretaria Municipal de Educação e do prefeito, como também questionou os vereadores. “Eu queria saber se os vereadores conhecem o calvário que nós passamos, os perigos que nós corremos para dar aulas para os futuros eleitores de vocês?”, indagou.

Além da gratificação que foi cortada e da carga horária excessiva, a categoria cobra auxílio transporte e a mudança de nível dos profissionais de Nível 3. “A gente não se sente valorizado porque os profissionais de Nível 3 não recebem o incentivo de qualificação. A gente percebe que em todos os municípios os profissionais recebem e aqui em Jaguaripe não”, disse uma professora.

Já o líder da APLB de prenome Julio ressaltou que vários pedidos foram feitos desde o ano passado e poucos foram atendidos. “Fizemos essa caminhada para mostrar o que vem acontecendo com os professores de Jaguaripe. Não vamos desistir de lutar pelos nossos ideais, afinal, ser professor é ser lutador em todos os sentidos”, concluiu. (Tribuna do Recôncavo)

manifestacao jaguaripe 22

Aproveite e curta a nossa fanpage. Clique Aqui !