IMG-20151201-WA0000A CURVA DO DESTINO

Um certo dia, um rapaz resolveu sair de sua terra Natal – interior do Pará -, para ganhar o mundo e fazer a vida. Pouco lhe importava por onde começar e sendo assim, foi trabalhar no corte de cana no Sudoeste do País. Sozinho, ganhando pouco e sem experiência, viu-se escravo da ambição humana. Foi então, que percebeu que o mundo que criara fora dos muros da sua comunidade era perverso e malicioso.

Não aguentando o sofrimento e a exploração, logo lhe deu a vontade para retornar a sua terra e rever os seus familiares e amigos, mas o que ele ganhava mal dava para a sua sustentação e nem se quer viajar. Porém, no corte de cana ele conheceu alguém da terra de José Inácio que lhe informou que daqui seria bem mais perto e mais fácil chegar ao interior do Pará.

Com um pouco de reserva que ainda lhe restava e uma ajuda aqui e outra ali, o jovem seguiu destino para a terra de José Inácio carregando na mochila a esperança de voltar ao Pará. Só que chegando aqui, descobriu que a sua ida ao Norte acabara de ficar ainda mais distante e difícil. Sem eira e nem beira, se viu mais uma vez em terras estranhas e com uma ideia fixa na cabeça, VOLTAR PRA CASA.

Na terra de José Inácio começou a trabalhar a pau e a pique, ganhando muito pouco fazendo bico. Foi então que resolveu pedir ajuda para que pudesse retornar a sua casa e a sua família. E essa ajuda veio através da Secretaria de Ação Social e a colaboração de alguns funcionários da “Verdinha” que ficaram sensibilizados com a situação do paraense.

Ainda hoje, o caminho para o Pará ficará a cada quilômetro mais perto e o jovem levará na bagagem, a solidariedade de um povo amigo de uma terra chamada de ITIRUÇU. Parabéns a Secretaria de Ação Social e parabéns aos meus conterrâneos!  Autor: Joselito Fróes.

Itiruçú está localizada na região de Jequié, a 329 km de Salvador e a 2.100 km de Belém do Pará. Segundo o autor da mensagem, o radialista Joselito Fróes, apresentador do Espaço Brega na Rádio Recôncavo FM em Santo Antônio de Jesus, o jovem de identidade não revelada veio para a Bahia por engano, imaginando que fosse mais fácil chegar ao Pará. (Tribuna do Recôncavo)