O decreto que autoriza a canonização da madre Teresa de Calcutá foi assinado pelo papa Francisco na quinta-feira (17/12). A canonização da beata será pública em fevereiro, durante o Consistório Ordinário, e a mesma se tornará santa em 4 de setembro de 2016, no âmbito do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia.

A canonização ocorreu depois que a Igreja Católica aprovou por unanimidade a “cura extraordinária” de um brasileiro em 2008, que se encontrava em fase terminal por graves problemas cerebrais. As provas obtidas durante o processo de estudo do caso mostram que as pessoas próximas do doente – de quem a esposa era devota – rezaram muito a Madre Teresa.

Durante meio século, madre Teresa desenvolveu um trabalho social em Calcutá com as Missionárias da Caridade. Em 1979, foi distinguida com o Prêmio Nobel da Paz. As Missionárias da Paz contam hoje com cerca de 4.500 religiosas, que trabalham em mais de 130 países na assistência aos pobres e doentes. Teresa de Calcutá morreu em 5 de setembro de 1997, aos 87 anos, na sede da congregação, onde morava. (Editado por Tribuna do Recôncavo | Informações: Agência Brasil)images-cms-image-000472997