A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou nesta sexta-feira (10), que as cesáreas sejam realizadas apenas quando forem necessárias”, e lamentou a grande quantidade de cirurgias de parto que acontece em várias regiões do mundo, principalmente no continente americano.

O parto, além de ser um ato fisiológico, é também um evento familiar, pessoal e sagrado. Um dos principais benefícios do parto natural é o vínculo criado entre a mãe e o recém-nascido. Além disso, o parto normal permite à mãe voltar à forma mais rápido, em comparação com a cesárea.

Há estudos que comprovam que a cesárea aumenta as chances do bebê sofrer com problemas respiratórios, icterícia fisiológica, prematuridade iatrogênica e anóxia, além de também ser maior o número de mortalidade neonatal para esse tipo de parto.

Por isso, se o caso não indicar obrigatoriedade de cesárea – que é indicada se o neném é muito grande, se está em posição transversa, com o braço na frente, sentado, se entrou em convulsão ou, durante o trabalho de parto, mostrou sinais de sofrimento –, é sempre melhor optar pelo parto normal. Redação/Tribuna, com informações de: oglobo)