Ganhador do prêmio Nobel da Paz em 2009, o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama passou os oito anos de governo com seu país envolvido em guerras. Atualmente, forças americanas estão presentes em 7 países com algum tipo de conflito bélico em andamento. Agora, vem à tona que um dos últimos atos de seu mandato foi enviar US$ 221 milhões à Palestina, conforme mostram as agências internacionais.

De acordo com a Associated Press, o Congresso foi informado sobre essa intenção na sexta-feira (20), de manhã, poucas horas antes de Donald Trump tomar posse. Ao todo, os EUA enviaram US$ 227 milhões. Sendo que US$ 4 milhões de dólares eram destinados a programas relacionados com mudanças climáticas e US$ 1,25 milhão foi dado a organizações que trabalham com a ONU.

Pessoas ligadas ao ex-secretário de Estado John Kerry explicam que o assunto foi tratado como prioridade e que havia ordens para não ser divulgado. Oficialmente a verba é doada para “causas humanitárias”, mas não existe prestação de contas.

Ou seja, o Fatah e o Hamas, grupos políticos que controlam a Autoridade Palestina, podem usar da maneira como quiserem, embora o próprio governo americano reconheça que o Hamas e as Brigadas de Al Aqsa -braço militar do Fatah – sejam classificadas como organizações terroristas que frequentemente fazem atentados contra Israel. Especialistas avaliam que a decisão de Obama se deu graças a postura abertamente pró-Israel de Trump e o fato de Obama ser inimigo político do premiê Benjamin Netanyahu. (Gospel Prime)