Cerca de 422 milhões de adultos em todo o mundo viviam com diabetes em 2014, quatro vezes mais do que em 1980, revela hoje a Organização Mundial de Saúde (OMS), num relatório que assinala o Dia Mundial da Saúde. No mesmo período, informa o relatório, a prevalência da diabetes quase duplicou, de 4,7% para 8,5% da população adulta, o que reflete um aumento dos fatores de risco associados, como o excesso de peso e a obesidade.

 “A diabetes está aumentando. Já não é uma doença de países predominantemente ricos e a prevalência está aumentando constantemente em todo o lado, mais marcadamente nos países de médio rendimento”, escreve a diretora-geral da OMS no prefácio do relatório. Com efeito, segundo os dados disponíveis no documento, na última década a prevalência da diabetes aumentou mais nos países de médio e baixo rendimento do que nos países ricos, com mais de 80% das mortes.

 A OMS estima que em 2030 a diabetes seja a sétima maior causa de morte. Em 2012, pode ler-se no relatório da OMS, a doença provocou 1,5 milhões de mortes, e o excesso de glicose no sangue causou mais de 2,2 milhões de mortes, por aumentar os riscos de doenças cardiovasculares. Quarenta e três por cento destas 3,7 milhões de mortes ocorrem antes dos 70 anos.

 A diabetes é uma doença crônica e grave que ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente (diabetes tipo 1) ou quando o corpo não consegue usar eficazmente a insulina que produz (diabetes tipo 2). Trata-se de um “importante problema de saúde pública”, uma das quatro doenças não transmissíveis definidas como prioritárias pelos líderes mundiais.  (Notícias ao Minuto)