O meteorito Bendegó foi uma das poucas peças de todo o acervo que resistiu às chamas que atingiram o Museu Nacional na noite do último domingo (02), em São Cristóvão, Zona Norte do Rio. A pedra, que pesa 5,6 toneladas, foi achada em 1784 perto de um riacho no interior da Bahia e levou quase um ano para chegar ao Rio.

O meteorito foi levado para o Museu Nacional a mando do Imperador Dom Pedro II em 1888 e permaneceu no local desde então. Além do meteorito, a mais antiga instituição científica do país abrigava ainda um acervo de mais de 20 milhões de itens que foram consumidos pelo fogo. Segundo o corpo de Bombeiros, ainda não há um levantamento sobre outras peças do acervo que tenham resistido.

O fogo começou por volta das 19h30 deste domingo (02), e foi controlado no fim da madrugada desta segunda-feira (03). Mas pequenos focos de fogo seguiam queimando partes das instalações da instituição que completou 200 anos em 2018 e já foi residência de um rei e dois imperadores. (G1/Bahia)