A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) decidiu na noite desta quarta-feira (5) que o título do Carnaval 2017 será dividido entre a Portela e a Mocidade Independente de Padre Miguel. Foram sete votos a favor; houve cinco abstenções e só a própria Portela votou contra. Um segundo troféu será entregue à agremiação verde e branca e o prêmio, que não teve o valor divulgado, será dividido.

A Mocidade havia perdido para a Portela por um décimo, na apuração divulgada na Quarta-Feira de Cinzas, na Sapucaí. O décimo em questão se deu por equívoco do julgador Valmir Aleixo, que avaliou o quesito enredo: ele se baseou na versão antiga do livro “Abre-alas” e tirou ponto da Mocidade, ao alegar que ela não apresentou um destaque de chão que, na versão atualizada, não iria mais se apresentar. Se a nota correta fosse dada (10 em vez de 9,9), a Mocidade ficaria empatada em pontos com a Portela (269,9), mas seria campeã devido ao critério de desempate.

Pela ordem sorteada pela Liesa, em caso de pontuação final igual, o desempate seria feito pelos quesitos na seguinte ordem: enredo, mestre-sala e porta bandeira, harmonia, evolução, comissão de frente, samba-enredo, fantasia, bateria e alegorias e adereços. Com a nota corrigida, as escolas empatam nos quatro primeiro quesitos, mas Padre Miguel ganha devido às notas de comissão de frente, em que levou 10 e a Portela perdeu um décimo. Com o recurso, a Liesa optou por dividir o título.

Após a divulgação das justificativas das notas dos jurados, a Mocidade lamentou o equívoco e disse que vai cobrar uma melhor preparação técnica dos julgadores. Apesar do descontentamento com a justificativa da nota, cumprimentou a Portela pelo “belíssimo desfile e o merecido título conquistado”. (Bahia.ba)