Na tarde desta quarta-feira, 31, o então presidente interino Michel Temer toma posse oficialmente como presidente da República, após Dilma Rousseff ter seu mandato cassado pelo Senado federal. A cerimônia de posse foi presidida por Renan Calheiros.

Após a execução do Hino Nacional, Michel Temer fez o juramento à Constituição e foi declarado presidente. O deputado Beto Mansur, 1º secretário da mesa, leu o termo de posse. As 16h52 o presidente empossado assinou o documento. Em seguida, a cerimônia foi encerrada, sem discursos.

Temer recebeu a notificação do deputado Beto Mansur e do senador Vicentinho Alves. Vários ministros acompanharam a entrega da notificação, que ocorreu no gabinete presidencial, no terceiro andar do Planalto. Assim que voltar da cerimônia de posse, Temer comanda a primeira reunião ministerial como presidente efetivo e, em seguida, embarca para Xangai. Leia Mais »

Michel Temer, que ocupava interinamente o cargo de presidente desde o dia 12 de maio, chegou ao senado acompanhado do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, responsável por presidir os trabalhos durante o julgamento do processo contra a presidenta.

O plenário estava cheio para a pose de Temer, mas sem a presença de parlamentares petistas. O ministro do STF, Gilmar Mendes, também estava presente. Menos de duas horas depois da cassação de Dilma, o plenário do Senado já estava repleto de flores e organizado para receber Temer. Em pouco tempo o telão da Casa mostrava uma imagem para a posse presidencial e a mesa também estava decorada. (Istoé)