O Estádio Mário Pessoa em Ilhéus teve suas obras de recuperação paralizadas. Na metade do último mês de maio foi assinada uma ordem de serviço para substituição do gramado e do sistema de irrigação e de drenagem. A previsão era de que as obras fossem concluídas em seis meses, porém o estádio está sem gramado.

O diretor da torcida organizada Mancha Azul do Colo-Colo, Renailton Miranda, disse que a situação pode atrapalhar a participação do time na Série B do Baiano de 2019. O Colo-Colo usou o Mário Pessoa na disputa da competição estadual e terminou na terceira colocação com 17 pontos, um a menos do que os líderes Atlético de Alagoinhas e PFC-Cajazeiras, que avançaram para a final na luta pelo acesso à elite.

De acordo com o superintendente de esportes do município de Olheus, Danillo Rabat, a paralisação da obra ocorreu por causa do atraso no repasse do dinheiro. Segundo ele, o prefeito Mário Alexandre (PSD) viajou para Brasília para tentar resolver a situação. A obra foi viabilizada através de uma emenda parlamentar de autoria do ex-deputado federal e atual presidente estadual do PCdoB, Davidson Magalhães.

Até o momento, a Federação Bahiana de Futebol ainda não divulgou uma data para começar a Série B do Baiano de 2019. No entanto, preocupado com o curto espaço de tempo para que o Mário Pessoa volte a ter condições de receber uma partida de futebol, Renailton Miranda colocou sua organizada à disposição para ajudar na conclusão da obra.

Editado por Tribuna do Recôncavo | Redação: Bahia Noticias