Para atender demanda represada de estacionamentos no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador (CHS), o Governo do Estado abre nesta sexta-feira (14), a partir das 7h, três equipamentos com oferta total de 286 vagas para automóveis e 70 para motos.

Dois estacionamentos – Praça da Artes e Rua Inácio Acciolly – já existiam e funcionavam, mas foram devolvidos ao Estado por decisão da Justiça, diante das reclamações de comerciantes, turistas e frequentadores da área da empresa que explorava os equipamentos.

O Estado agora reabre os dois, oferecendo 256 vagas e 60 vagas para moto. O terceiro equipamento fica localizado no subsolo do Largo Jubiabá, na Rua do Passo, funcionava apenas como depósito e oferece mais 30 vagas para carro e 10 para motos, atendendo novo vetor do CHS para o Largo do Carmo e o bairro do Santo Antônio. (SECOM)

ACESSIBILIDADE e CONFORTO – A iniciativa é do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), autarquia da Secretaria de Cultura do Estado. O IPAC não é responsável direto pelo Pelourinho/CHS, mas entende como importante seu papel na aplicação de políticas públicas para preservação do patrimônio cultural baiano. A área é tombada pela União, via IPHAN/Ministério da Cultura, como Patrimônio do Brasil (1984), e chancelada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade (1985).

“Temos que pensar essa área como estratégica para a cidade, tornando-a acessível, confortável e com serviços necessários para atender os baianos e turistas”, afirma o diretor geral do IPAC, João Carlos Oliveira. Ele destaca que somente pensando a infraestrutura e a logística para o convívio urbano é que as cidades podem se transformar. “A requalificação desses equipamentos possibilitam, em última instância, mais uma possibilidade para o desenvolvimento econômico e promoção da inclusão social mediante a geração de empregos e de renda”, explica.

SEGURANÇA – Para uso do subsolo do Jubiabá para estacionamento, o IPAC retirou cerca de 36 toneladas de lixo e materiais descartados. “Este largo também passará por processo de requalificação, atendendo importante demanda da comunidade local”, explica João Carlos. O outro espaço disponível no subsolo do largo continuará a ser utilizado pelo 18º Batalhão da Polícia Militar para guarda de seus veículos e ponto estratégico.

“A PM e a Secretaria de Segurança do Estado são parceiros constantes dessas requalificações, assim como já aconteceu no Passeio Público e agora na Praça das Artes, onde estão instaladas câmeras de segurança 360°”, completa João Carlos. Para ele, a reabertura desses estacionamentos dá continuidade a uma política de valorização de espaços públicos e apropriação deles por parte da população baiana como foi feita no Passeio, reaberto em setembro do ano passado, e agora no CHS. Essa experiência participativa será replicada e ampliada pelo IPAC.

MANUTENÇÃO – Segundo o coordenador de Conservação Predial do IPAC, Fernando Calldeira, cerca de 30 operários trabalharam na preparação dos estacionamentos. “Também contamos com a parceria da Conder (Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado) que cedeu tintas, material elétrico e hidrossanitário”, comenta Calldeira. Para entrega à população com brevidade, o IPAC realizou um contrato emergencial para administração dos três estacionamentos nos próximos seis meses. Em março de 2017 deverá ser lançada licitação pública para contratação em período mais longo.

A manutenção será obrigação contratual da empresa cessionária. A nova administração vai praticar preços acessíveis à população. A primeira hora será de apenas R$ 7. Mais informações sobre preços e contratos no setor comercial da empresa Parecar: (71) 3014-6977. Sobre o IPAC, no sitewww.ipac.ba.gov.br, facebook ‘Ipacba Patrimônio’, instagram ‘@ipac.patrimônio’ e twitter ‘@ipac_ba’.

(SECOM)