Trabalhadores de diversas categorias realizaram uma manifestação na quinta-feira (30/05/15) em Santo Antônio de Jesus. Eles saíram do Sindicato dos Comerciários na Avenida Luiz Viana, percorreram várias ruas da cidade, encerrando com uma concentração na Praça Renato Machado, onde os representantes sindicais expressaram sua indignação contra os políticos que estão querendo retirar do trabalhador alguns direitos garantidos por lei.

Empresária em Santo A. de Jesus obriga funcionária a subir em cadeira e gritar que é burra - saj, destaque

Anatália Mercês

De acordo com Anatália Mercês, secretária do Sindicato dos Comerciários, os direitos dos trabalhadores estão ameaçados através da PL da Terceirização, das MPs e do Fator Previdenciário. No dia 14 de abril, durante a seção em que era discutido a PL4330, os deputados resolveram recuar com a finalidade de ganhar mais tempo para discutir e entender o projeto. “Isso foi o resultado da pressão que os trabalhadores fizeram. Agora a gente vai continuar pressionando para que não seja aprovada a terceirização da atividade-fim”, disse Anatália.

Empresária em Santo A. de Jesus obriga funcionária a subir em cadeira e gritar que é burra - saj, destaque

Jacilda Souza

Durante a manifestação, a sindicalista Jacilda Souza denunciou o absurdo que alguns empresários de Santo Antônio de Jesus estão fazendo com suas funcionárias. “Quando uma trabalhadora do comércio engravida, ela começa a ser maltratada e forçada a realizar os piores trabalhos dentro da empresa, uma pressão psicológica para pedir demissão”, disse Jacilda, lembrando que a gestante só pode ser demitida após 90 dias da licença maternidade.  Outro absurdo,  uma funcionária de uma loja foi obrigada a subir na cadeira, na frente de clientes e colegas e gritar “Eu sou burra, eu sou burra…”.

Qualquer denuncia relacionada ao trabalho no comercio de Santo Antônio de Jesus pode ser feita através do telefone: (75) 3631-4413. (Hélio Alves/Tribuna do Recôncavo)