Os professores e servidores técnicos do Instituto Federal da Bahia (Ifba) estão em estado de greve desde a última sexta-feira (15/10) e podem paralisar suas atividades na próxima assembleia, em 17 de novembro. Os trabalhadores da instituição de ensino protestam contra a retirada do vale-transporte, o não pagamento da insalubridade e adoção do ponto eletrônico nas unidades do Ifba.

A postura considerada “antidemocrática”, “abusiva” e “arbitrária” do reitor Renato Anunciação também é questionada. Isso porque, de acordo com os servidores, não foi convocada reunião do Conselho Superior com participação do sindicato da categoria, o Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe).

Na assembleia realizada na última sexta, os trabalhadores também questionaram a PEC 241, que limita os gastos públicos; o PLP 257, que estabelece a reforma do ensino médio; e o projeto Escola Sem Partido. (Bahia Noticias)