Na segunda-feira (30/11), o Poder Judiciário anunciou que, por falta de verba, as eleições de 2016 não usarão urnas eletrônicas. Em nota, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que “o contingenciamento de recursos determinado pela União para cada área do Poder Judiciário, incluindo a Justiça Eleitoral, inviabilizará as eleições de 2016 por meio eletrônico”.

Segundo a Justiça Eleitoral, os valores disponíveis para as eleições de 2016 são de 428 milhões de reais. Esse valor compromete severamente vários projetos do TSE e dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), como a aquisição de urnas eletrônicas, com licitação já em curso e de imprescindível contratação até o fim do mês de dezembro. Apenas para comprar novas urnas seriam necessários R$200 milhões de reais.

A medida anunciada pelo Planalto pode ser revista caso o governo consiga organizar suas contas. Contudo, se o bloqueio se concretizar, a compra de novas urnas será inviável, o que obrigará o TSE a realizar as eleições de 2016 por meio de cédulas de papel. Vale ressaltar que desde 2000, as eleições são realizadas eletronicamente.