A presidente afastada Dilma Rousseff vai fazer sua defesa pessoalmente no julgamento processo de impeachment nesta segunda-feira, 29, no Senado. Ela terá 30 minutos iniciais, que poderá ser prorrogado por mais 30.

O tempo poderá ser estendido a critério do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. Em seguida, ela responderá aos questionamentos dos senadores. Cada parlamentar terá até cinco minutos para seus questionamentos.

Dilma terá o tempo que julgar necessário para responder e não será permitida réplica e nem tréplica. Dilma também poderá deixar de responder as indagações dos senadores. Ela também responderá a eventuais questões formuladas pela acusação e pela defesa.

A presidente afastada estará acompanhada de cerca de 30 pessoas, entre ex-ministros, presidentes de partidos aliados, assessores e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Até agora, já se inscreveram para questionar Dilma 47 dos 81 senadores. (Agência Brasil)