Nem toda queda de cabelo é igual, quando o assunto é cuidar dos fios, muitas vezes, por desconhecimento, as pessoas recorrem a promessas milagrosas que acabam por piorar a situação dos cabelos. “Há muito mito ainda em torno dos cabelos. Água quente, chapinha e secador, tinturas e uma infinidade de outros procedimentos são vistos como vilões, mas nem sempre é assim”, quem afirma é o médico especialista em tratamento capilar, Leandro Mauro.

A queda de cabelo diária é normal, perdemos cerca de 100 fios por dia. Isso faz parte de um processo natural, mas fique atento, se você notar uma queda excessiva, pode ser sinal de que algo no seu organismo não vai bem. “A queda repentina e excessiva pode ser ocasionada por algum fator, como estresse e a falta de vitaminas”, diz o especialista.

 

Várias razões para a mesma queda:

“As quedas de cabelo são divididas em tipos específicos, e cada uma delas conta com um tratamento diferente. Nem sempre requer cirurgia, mas é importante que as pessoas prestem atenção ao volume de fios que caem diariamente”, relata o médico.

 

Alopécia androgenética

É a queda causada pelo afinamento capilar. “Geralmente, ela atinge homens e mulheres, sendo menos severa nelas. Nos homens, caracteriza-se pelas típicas ‘entradas’ na linha do início do cabelo, já nas mulheres, é mais comum que aconteça no topo da cabeça”, esclarece Leandro Mauro. Esse tipo de queda é propiciado também por fatores genéticos e tem a ver com a hereditariedade.

 

Alopécia areata

É a queda de cabelo que ocorre de maneira abrupta e deixa placas lisas, sem fio. Muitas vezes, o sistema de imunidade do organismo age como se o folículo capilar fosse um corpo estranho e começa a atacá-lo. “Depois de algum tempo e da utilização do tratamento correto, os fios voltam a crescer normalmente. Esse tipo de queda existe em diferentes graus de gravidade, mas existe tratamento”, garante Dr. Leandro.

 

Eflúvio telógeno

Esse tipo pode estar associado ao estresse. A boa notícia é que normalmente a perda é temporária e o cabelo se recupera rapidamente, mas é bom ficar atento, pois nesses casos, o cabelo só volta a nascer quando o motivo do estresse é sanado. Dietas restritivas, episódios traumáticos e doenças crônicas estão entre as causas da queda.

 

Queda autoinduzida

Nesse tipo, o próprio paciente é o causador, seja de maneira consciente ou não. “Esse tipo de queda é chamado de tricotilomania, se dá quando o paciente sente um impulso incontrolável de arrancar os cabelos, e, em muitas vezes, é necessário um acompanhamento psicológico”, diz o médico.

Outro tipo de queda autoinduzida é a chamada queda por tração. “Ela se dá pelo constante tracionar dos fios, seja por penteados frequentes ou pelo ato de prender os cabelos com força”, afirma o especialista, que faz um alerta: se a tração acontece repetidamente, a queda pode ser permanente.

 

Tratamento

Toda queda de cabelo deve ser avaliada por um especialista que irá indicar o melhor tratamento. “Geralmente, mudança de hábitos alimentares, estilo de vida e associação de medicamentos podem resolver o problema, no entanto, é fundamental que um médico especialista seja consultado para que o diagnóstico seja certeiro e o tratamento efetivo”, conclui Leandro Mauro.

 

Sobre a Clínica

A Clínica Dr. Leandro Ribeiro Mauro fica na Rua Portugal, nº 82 – São Francisco, Curitiba-PR. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (41) 3079-2282 ou pelo site http://www.drleandromauro.com.br

 

Informações: Agencia Descomplica