web analytics

Muritiba: Escritor Edgard Abbehusen participa de mesa principal da Flica

Foto: Uanderson Alves/ Tribuna do Recôncavo

O escritor Edgard Abbehusen, residente na cidade de Muritiba, participou no sábado (13/10), juntamente com a escritora Zack Magiezi, da mesa 7 da Flica-Festa Literária Internacional de Cachoeira. Com o tema “Os filtros que Usamos na Literatura do Nosso tempo”, o bate papo lotou o Claustro do Convento do Carmo.

Febre no Instagran, Edgard Abbehusen falou ao Tribuna do Recôncavo sobre seu livro “Quem Tem Como Me Amar, Não Me Perde Em Nada”. “Eu não tinha um ano de perfil no Instagram [quando] recebi o convite da editora carioca Villardo, mas me joguei de cabeça, mergulhei no universo da literatura, e hoje tá aí como um dos livros mais vendidos na Flica”, disse.

Edgard que também é estudante de jornalismo, deixou um recado para todos que perderam a 8ª edição da Festa Literária. “A Flica é um dos eventos mais importantes da nossa região, é um evento que merece ser valorizado, é um evento que merece toda atenção, vi aqui uma fila enorme do Claustro do Convento do Carmo até a Câmara e Cadeia para se falar de literatura, isso é uma coisa que a gente só ver em shows. Então, o recado é, não percam as próximas edições, promovam a literatura em seus espaços”, concluiu.

Redação: Uanderson Alves | Reportagem: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo

 

Câmara e Cadeia Convento do Carmo

(mais…)

FLICA: Artista plástica Cristina Solimando pinta retratos em praça pública

Foto: Uanderson Alves/ Tribuna do Recôncavo

A artista plástica Cristina Solimando, natural de Buenos Aires na Argentina e residente na cidade de Cachoeira-BA, apresentou seu talento em praça pública durante a 8ª edição da Flica-Festa Literária Internacional. Ela desenvolveu diversos desenhos dos participantes da Festa.

Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, Cristina falou sobre sua inspiração artística. “Arte é uma inspiração de cada momento em que a pessoa se permite, tem que está à disposição da arte”, disse. Cada desenho levava em torno de 15 minutos para ser finalizado.

O professor de filosofia, Roberto Fernando, 60 anos, relatou como foi ter sido desenhado. “Essa artista é uma grande mestra que está aqui materializando a transcendência da arte, parabéns para ela pelo seu talento. Eu me sinto lisonjeado neste momento em está participando desta cultura de ancestralidade”, destacou.

Roberto que é natural de São Gonçalo dos Campos e reside em Salvador, ainda falou sobre a importância da Flica. “Com a chegada da UFRB Cachoeira  teve um upgrade no que se refere a economia, politica, cultura e história. Então, a Flica vem consolidar esse movimento intelectual, cientifico, tecnológico e poético”, finalizou.

Redação: Uanderson Alves | Reportagem: Hélio Alves/ Fonte: Tribuna do Recôncavo

Salvador: Luis Claudio, campeão regional do TAL, recita na Flica

Foto: Uanderson Alves/ Tribuna do Recôncavo

O soteropolitano Luis Cláudio, campeão regional do TAL- Concurso Literário do Governo do Estado, em 2017, foi um dos convidados a recitar na Flica- Festa Literária Internacional de Cachoeira, no sábado (13). Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, Luis falou que ficou muito lisonjeado de ser convidado para recitar na Flica.

O mesmo ainda falou sobre as oportunidades que alguns estudantes perdem por causa da timidez. “É para os estudantes acreditarem em si mesmo, acreditarem no seu potencial, porque assim como eles eu já fui tímido, eu achava que não era suficientemente bom, e depois eu mudei minha visão sobre isso”, disse.

Claudio ainda falou sobre sua vitória no TAL. “Foi uma realização pessoal, com o apoio da escola eu pude acreditar em mim e mostrar o meu potencial. Não esperava nem chegar nas finalizações para disputar o pódio, mas fui muito feliz em consegui vencer em primeiro lugar”, concluiu.

Redação: Uanderson Alves | Reportagem: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo

FLICA: Autora Conceição Evaristo agradece com ressalva a homenagem recebida

Foto: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo

Uma das mesas da FLICA – Festa Literária Internacional, realizada na cidade de Cachoeira, teve na noite de sábado (13/10), a presença da homenageada do evento, a autora mineira Conceição Evaristo.

A escritora iniciou sua fala dizendo que ficou muito feliz por, aos 71 anos, ter a lucidez, o prazer e a oportunidade de receber uma homenagem em vida. Em seguida ela agradeceu, com ressalva, a indicação do seu nome.

“As feiras literárias e os festivais de literatura que tem reconhecido a escrita negra não fazem mais que a obrigação. Em momento algum nós estamos ganhando um presente, nós estamos chegando a alguns lugares que sempre foram nossos”, disse.

Conceição é ficcionista e ensaísta, tendo em seu currículo romances, poemas, contos e várias participações em antologias. Também tem obras publicadas no exterior. A mesa foi mediada por Lívia Natália e o local do evento ficou completamente lotado.

Texto: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo    (mais…)

Estudantes da Rede Estadual apresentam suas obras na FLICA; Tribuna ouve superintendente da SEC

Foto: Uanderson Alves/ Tribuna do Recôncavo

Estudantes da Rede Estadual de Educação de toda a Bahia participaram entre os dias 11 e 14 de outubro da FLICA – Festa Literária Internacional, realizada na cidade de Cachoeira. No Espaço Educar para Transformar, criado pela Secretaria da Educação na Fundação Hansen Bahia, houve oficinas, rodas de conversa, mesas de leitura, encontros literários, oficina de cordel, papo de cinema, sarau, exposição de obras de arte, entre outras atividades. Educadores e visitantes também participaram.

Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, Ney Jorge Campello, Superintendência de Políticas para a Educação Básica, da Secretaria Estadual da Educação, contou que mais de 100 alunos de diferentes municípios estiveram na FLICA com a finalidade de levar para o evento o diálogo pela arte da educação.

“Muitas vezes a gente diz que o que tem de novo no século 21 é levar computador pra escola, é longe disso. Ainda que os computadores sejam importantes, o que mais precisamos como desafio da educação no século 21 é realizar o encontro entre as pessoas”, destacou.

Ouça a entrevista completa no play abaixo:

Texto: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo (mais…)

Poeta de Maracás, Roberth Novaes, participa da FLICA em Cachoeira

Foto: Emerson Santos/ Divulgação

O poeta Roberth Novaes, residente na cidade de Maracás, no Centro Sul da Bahia, participou da Flica – Festa Literária Internacional, realizada na cidade de Cachoeira entre os dias 11 e 14 de outubro.

Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, Roberth falou sobre o seu livro “Tourada Imaginária”, publicado pela editora Kawo Kabiyesile, que trata sobre o Sertão. “É um livro de cunho regionalista que traz as figuras do sertanejo e da seca”, disse.

Roberth parabenizou a Secretaria da Educação do Estado por levar estudantes de todo o Estado da Bahia, que tem suas obras produzidas dentro do contexto da escola, para expor o seu trabalho na Flica.

Roberth, que já participou do TAL (Tempo de Arte Literária) e do Concurso Castro Alves, também destacou a importância desses projetos estruturante do Governo do Estado. “Essas ações da Secretaria da Educação são muito importantes, pois desempenham o papel de influenciadora da escrita e da leitura dentro da escola”, concluiu.

Texto: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo  (mais…)

Após participarem do FACE músicos de Santo Amaro apresentam música “Eu Sou o Samba” na FLICA

Foto: Uanderson Alves/ Tribuna do Recôncavo

Jocimar Bispo e Weverton Campos, ambos da cidade de Santo Amaro, no Recôncavo baiano, participaram neste sábado (13/10), da Flica – Festa Literária Internacional, realizada na cidade de Cachoeira. Jocimar e Weverton, do Grupo Francamente, apresentaram a música  “Eu Sou o Samba”.

Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, Jocimar contou que essa música foi feita de maneira muito rápida quando ele estagiava no Memorial Edith do Prato em Santo Amaro. “Ao ouvir o CD de um amigo compositor, Marcio Valverde, tive a ideia de escrever sobre a nossa cidade e o nosso pertencimento, uma hora depois a música já estava toda pronta”, disse.

Com a música “Eu Sou o Samba” Jocimar e Weverton participaram em 2014 na Fonte Nova, em Salvador, da etapa estadual do Festival Anual da Canção Estudantil (Face), projeto estruturante do Governo do Estado. “Essa música foi um divisor de água em nossas vidas, pois levou a gente a participar do FACE, um projeto de suma importância para disseminar a cultura e a arte nas escolas baianas”, destacou Weverton Campos.

Durante a FLICA as apresentações dos estudantes e professores da Rede Estadual aconteceram no Espaço Educar para Transformar, montado pela Secretaria da Educação do Estado na Fundação Hansen Bahia.

Ouça um trecho da música “Eu Sou o Samba”:

Texto: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo

FLICA: Cronista e poeta Rubens da Cunha destaca a importância de ler livros físicos

Foto: Uanderson Alves/ Tribuna do Recôncavo

O escritor e professor Rubens da Cunha, natural do estado de Santa Catarina, sempre escreveu poemas e crônicas, e com a sua mudança para a Bahia para ser professor da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia), campus de Santo Amaro, o mesmo começou a pesquisar sobre o Recôncavo.

Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, neste sábado (13/10), na Flica – Festa Literária Internacional de Cachoeira, Rubens falou que pretende envolver a geografia, a cultura e as pessoas do recôncavo “porque é tudo muito novo, eu não conhecia essa região e isso está entrando em minha nova literatura”, disse.

O último livro de poema de Rubens é “Curral”, publicado em 2015, o qual trabalha as questões da vida, morte e envelhecimento do corpo. “O corpo como um curral, algo que nos prende, que faz com que a gente esteja aqui preso”, disse.

Indagado pelo repórter Hélio Alves sobre a importância de ler livros físicos, Rubens respondeu: “O livro é como uma roda, é uma invenção perfeita, é fácil de manusear, de carregar e fácil de ler. Então, o livro é muito prático e interessante porque carrega toda uma história sobre si. Enfim, apesar de todo um avanço das novas mídias, o livro [físico] é um objeto com muito impacto, com muita força, e que vai sobreviver. Aí é que está a importância de se mantê-lo, fazer com que ele seja vendido, comprado ou trocado” concluiu.

Texto: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo

OXE – Projeto de Extensão do IFBA divulga autores baianos na Flica; Tribuna ouve Lívia Eduarda

Foto: Uanderson Alves/ Tribuna do Recôncavo

Durante a Flica 2018, Festa Literária Internacional, realizada na cidade de Cachoeira de 11 a 14 de outubro, alunos do IFBA – Campus de Santo Amaro, realizaram várias atividades com a finalidade de dar visibilidade aos autores baianos pouco conhecidos na literatura nacional.

Em entrevista ao Tribuna do Recôncavo, a aluna do curso de Eletro Mecânica do IFBA, Lívia Eduarda, contou que no stand do OXE: Literatura Baiana Contemporânea – projeto de extensão do IFBA, os estudantes apresentaram banners, realizaram oficinas e mesas de diálogo. Eles também fizeram intervenções artísticas nas ruas de Cachoeira.

Vários escritores marcaram presença no stand vendendo livros e dando autógrafos, entre eles Margô Valente, autora de literatura infantil. Na oportunidade foi lançado o portal http://oxe.insix.com.br/ que reúne obras de 80 autores, com cerca de 400 textos de vários gêneros.

Texto: Hélio Alves/ Tribuna do Recôncavo

Veja como foi o 2º dia da Flica; escritora mutuipense, Carminha, participa pela 4ª vez

Foto: Maria do Carmo

Nesta sexta (12), a cidade de Cachoeira recebeu centenas de visitantes (escritores, estudantes, professores, livreiros e simpatizantes da cultura literária que se fizeram presente para prestigiar o 2º dia da FLICA (Festa Literária Internacional de Cachoeira), promovida pelo Ministério da Cultura e Governo do Estado em sua 8ª edição, tendo como homenageada a escritora Conceição Evaristo.

Com a mediação de Mônica Menezes a Programação teve início com o tema “A leveza das orquídeas mais pesadas do que a ventania”, onde os escritores Noemi Jaffe e Ricardo Aleixo expuseram suas trajetórias humanas e literárias, declamaram seus poemas e interagiram com o público.

Uma diversidade de atividades ocorreram em espaços alternativos como a FLIQUINHA, destinada ao público infantil, mostra de livros, contação de histórias, oficinas, apresentações teatrais, exposição de artesanato e de uma vasta produção literária (cordéis, poesias, contos,…) nas praças, por escritores independentes.

Para a poetisa Maria do Carmo (Carminha), que participa da FLICA pela 4ª vez consecutiva, é muito gratificante poder estar neste Evento Literário que considera essencial à dinâmica, ao fortalecimento e a valorização  da Cultura Literária nos seus variados gêneros.

Texto: Maria do Carmo/ Tribuna do Recôncavo (mais…)

Voltar à página inicial