“Ontem perdi. Provavelmente hoje perco de novo. Mas eu não queria estar do lado dos vencedores. O que venceram e como venceram não era o que eu queria mesmo e continuo não convencida que era o melhor para o Brasil”, declarou Cármen durante o seminário “Direitos Humanos nos 30 anos da Constituição Federal e nos 70 anos da Declaração Universal”.

A previsão de reajuste foi aprovada pelos ministros do STF por 7 votos a 4.  Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Luiz Fux e Alexandre de Moraes foram a favor da medida. Além de Cármen Lúcia, Celso de Mello, Rosa Weber e Edson Fachin votaram contra. (Bahia Noticias)