A ala mais tradicional do PSDB quer expulsar da legenda os filiados que aceitarem cargos no governo Bolsonaro. A discussão foi iniciada com o convite feito por Bolsonaro a dois tucanos para cargos do segundo escalão: o deputado cearense Danilo Forte e Mayra Pinheiro, candidata derrotada ao Senado pelo mesmo estado.

O debate sobre o futuro do PSDB vai se intensificar nos próximos meses. Em maio, a sigla vai se reunir para escolher a nova direção. Caso vença a ala “adesista”, que tem entre seus representantes os governadores eleitos João Doria (SP), Reinaldo Azambuja (MS) e Eduardo Leite (RS), o partido vai se aproximar formalmente do novo governo, o que isolaria os fundadores da legenda.

Fonte: Blog da jornalista Julia Dualibi | Redação: Bahia.ba