A Prefeitura Municipal de Varzedo enviou um projeto para a Câmara Municipal, que se aprovado, permitirá que o prefeito Ari Bahia assine contratos e convênios com instituições públicas estaduais, federais e privadas com interesse público. Mas, apesar do pedido de urgência e ciente das necessidades do prefeito de assinar convênios para beneficiar o município, inclusive o projeto para a construção de 50 casas populares na zona rural, os vereadores de oposição não compareceram à sessão da Câmara.

Em 2016 esse projeto foi aprovado, pois o prefeito tinha maioria na Câmara. Conforme levantamento feito pelo Tribuna do Recôncavo, para esse ano de 2017, além das unidades habitacionais, existe um projeto de R$ 500 mil reais, já licitado, para a realização de obras de calçamento na localidade do Braga, terra do vereador Nengo, o qual não compareceu à sessão. Há também o projeto para calçamento na localidade do Barro, terra natal do vereador Luizinho de Manoel de Avelino (PSB), que também não compareceu à sessão. Ainda existe o projeto de R$ 4.300.000,00 (quatro milhões e trezentos mil reais) para a construção de uma escola de 1º Grau com 12 salas de aula.

Os moradores de Varzedo, indignados com a atitude dos vereadores de oposição, fizeram um abaixo assinado, tentaram entregar na Câmara, mas os servidores da casa legislativa não receberam. Enquanto os vereadores não aprovam esse projeto, o município de Varzedo corre o risco de perder os prazos e deixar de receber 7 milhões e quatrocentos mil reais, que foram liberados pelo Governo Federal.

O projeto para autorização desses convênios será colocado em votação, novamente, na sessão desta segunda-feira, dia 12/03.

Fonte: Tribuna do Recôncavo

MATÉRIA RELACIONADA: Com Câmara lotada e vaias, vereadores de Varzedo aprovam projeto que autoriza convênios