Com 110 anos de idade, o senhor Joviniano dos Santos viveu sua infância na Fazenda Primavera, próximo ao Rio da Dona, na divisa entre os municípios de Santo Antônio de Jesus e Varzedo, no Recôncavo Baiano. Trabalhou no município de Itabuna com secagem de cacau, e retornou para a zona rural de Santo Antônio de Jesus onde trabalhou no cultivo de mandioca, fumo e flores.

Em entrevista ao repórter Hélio Alves, na tarde deste sábado (13/01), o senhor Jovino, como é conhecido, contou que em décadas passadas os filhos eram mais obedientes. Durante a semana o filho trabalhava três dias para o pai e três dias para si mesmo. E quando o pai saía deixava uma tarefa para o filho fazer (limpar um pedaço de terra, por exemplo), e quando chegava, se não tivesse feito, tinha que fazer a noite.

Ao ser questionado sobre os jovens de hoje, ele contou que em seu tempo uma mulher ia pra longe sozinha e ninguém desrespeitava. “Hoje ela não pode ir daqui ali que já tem um pivete pra perturbar”. Disse também que durante seus 110 anos de vida não conheceu nenhum tipo de droga. “No meu tempo quando a gente se desentendia com uma pessoa a gente brigava, e hoje por qualquer coisa um mata o outro”, disse.

Joviniano residia na Fazenda de Raimundo Cabral no Cavaco, zona rural de Santo Antônio de Jesus, e hoje mora com sua irmã Maria Rosa e sua sobrinha Maria da Paixão na Areia Grossa, zona rural de Varzedo. Sua saúde é considerada boa, está lúcido e anda sozinho, apenas enxerga pouco e não ouve bem. Fonte: Tribuna do Recôncavo

Verso declamado por Jovino: