Testemunha da morte do policial militar Rogério Souza da Silva, o também soldado João Feitosa da Silva Plínio Júnior deve ser ouvido ainda nesta segunda-feira (26), pelo titular da 5ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Valença), José Raimundo Neri Pinto.

A dupla foi atacada por uma quadrilha de tráfico de drogas que atua no bairro do Tento, em Valença, quando realizava levantamento de informações, na noite do último domingo (25). Na ação, Rogério morreu e João  foi atingido no estômago, socorrido ao Hospital de Santo Antônio de Jesus, e terá alta médica nesta segunda-feira.

Liderados pelo irmãos Luciano de Iara e Cláudio de Iara, Adriano Bispo da Conceição e Rafael Ramos do Espírito Santo participaram do ataque contra os policiais. Descobertos por profissionais da 33ª Companhia Independente da Polícia Militar, no bairro do Tento, a dupla resistiu à prisão e morreu em confronto, ainda na noite de domingo.

Outros dois acusados de participação na morte, Leandro Santos de Almeida e outra pessoa  não identificada tentaram fugir de barco, mas foram alcançados ainda no atracadouro de Valença. Houve confronto e, no revide, foram atingidos e não resistiram aos ferimentos. No final da manhã de hoje, no bairro da Bolívia, um quinto integrante da quadrilha também resistiu à prisão e morreu.  (Bocão News)

Policiais da 5ª Coorpin, com reforço enviado pelo Departamento de Polícia do Interior, e da 33ª CIPM, continuam em diligências para capturar Luciano e Cláudio de Iara e outro envolvido, apelidado apenas de Danico. O sepultamento do policial militar será realizado nesta segunda-feira (26), às 16 horas, no Cemitério Alto do Campinho, em Valença.