O Coletivo Novos Cachoeiranos realiza, no próximo sábado (03), a apresentação “Alabês Atonais”, com participação dos Alabês Iciminó. O concerto mistura elementos da musicalidade de matriz africana com técnicas de música contemporânea, e acontece às 17h, no Terreiro Ile Axé Iciminó Aganju Didè, Ladeira do Quebrabunda, Sítio Terra Vermelha, em Cachoeira, durante o lançamento do livro de Mateus Aleluia, “Nós, os Tincoãs”, publicado com apoio do Fazcultura.

O Coletivo é um projeto coordenado pelo professor Sólon de Albuquerque Mendes, dedicado à arte e educação comunitária focado no ensino de arranjo, composição, contraponto, harmonia e estética, em parceria com músicos das filarmônicas locais – Lyra Ceciliana e Minerva Cachoeirana. O repertório do grupo é dedicado à produção autoral, misturando elementos da musicalidade do recôncavo, com elementos da vanguarda musical, como atonalismo, dodecafonismo, da música barroca e do Jazz.

O projeto Novos Cachoeiranos é desenvolvido em parceria com o Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas – UFRB, Proext, da Sociedade Cultural Orpheica Lira Cyciliana, e conta com o apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, por meio do Fundo de Cultura.

O livro “Nós, os Tincoãs” – Sob o olhar de Mateus Aleluia, o livro-memória, escrito coletivamente, com textos de Marcus Preto, Iuri Passos e Paulo Bahiano, visa resgatar e preservar a história dos Tincoãs, trio vocal surgido no final dos anos 50 que marcaria a história da música afro-brasileira.

São fotos, críticas musicais, matérias de arquivo, biografia dos seus integrantes, além de depoimentos de personalidades como o radialista Adelzon Alves, produtor musical do grupo, e de artistas que são admiradores do grupo como Martinho da Vila, Ana Lomelino, Criolo, Emicida e o grupo instrumental Bixiga 70.

O livro foi lançado em dezembro no Teatro Castro Alves, em Salvador, juntamente com relançamento de três CDs do grupo, em evento que contou com a reunião de Mateus Aleluia e Badu, membros remanescentes. O projeto, que terá lançamento em Cachoeira também neste sábado, no Terreiro Ile Axé Iciminó Aganju Didè, conta com apoio do Governo do Estado, por meio do Fazcultura.

 

ASCOM/ SecultBA