Com a iminente saída de Ricardo Barros (PP-PR) do Ministério da Saúde, o presidente Michel Temer (MDB) voltou a discutir a indicação de um nome famoso para assumir a pasta. O PP quer manter o comando do cargo, mas não possui um nome que atenda a exigência do presidente: não disputar a próxima eleição.

Segundo informações do Blog da Andréia Sadi, os políticos do partido que aceitariam não concorrer não são da área da Saúde. Por conta disso, líderes do partido já dizem que aceitam a indicação de um “notável” para o cargo desde que o novo ministro mantenha o segundo escalão da pasta.  De acordo com a publicação, a justificativa dos parlamentares é a de que se o novo chefe da Saúde mudar toda a equipe, o ministério não vai ter condições de concluir os processos que estão em andamento até o fim do ano.

Por outro lado, aliados de Temer afirmam que o objetivo do PP é não quer perder o controle da vaga em ano eleitoral. Com essas articulações, o vice-governador da Bahia, João Leão, chegou a ser convidado para assumir o posto, mas o progressista negou o convite. Barros deixa a pasta até abril para se candidatar na próxima eleição. Além da Saúde, outros 10 ministérios devem mudar de comando nesse período. (Bahia Noticias)