O Sr. Amarildo Carvalho, funcionário da extinta 4ª Dires em Santo Antônio de Jesus e diretor do Sindsaúde, fez uma análise sobre a manifestação realizada pelos servidores estaduais da saúde na cidade de Salvador no dia 06 de abril: “Eu vejo isso de uma forma positiva, pois vimos aquele trio elétrico com quase 4 mil servidores juntos, caminhando e cantando até a governadoria para que o governo atenda nossas reivindicações, que é o reajuste que nós não temos há dois anos, também as condições de trabalho precárias que temos que enfrentar”.

O mesmo ainda falou sobre a importância de uma mesa de negociação com o governo: “O governador precisa abrir uma mesa de negociação com a FETRAB – Federação dos Trabalhadores Públicos do Estado da Bahia e todos os sindicatos. Nós o elegemos no sentido democrático e ele precisa abrir essa mesa de negociação para atender nossas reivindicações”.

Amarildo também comentou sobre a lei de terceirização que retira a insalubridade e descarta a necessidade de concursos públicos: “Direitos adquiridos não podem ser retirados, eu achei isso uma injustiça, porque no seu orçamento o trabalhador já tinha planos com aquele valor. Como agente público eu aprendi que passou de cinco anos você não perderia mais direito e não está acontecendo isso, portanto, o medo é muito grande de se perder aquilo que foi conquistado ao longo do tempo”, explicou. (Uanderson Alves/Tribuna do Recôncavo)