Na noite desta quinta-feira (12/10), a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Cajueiro em Santo Antônio de Jesus, celebrou a solenidade de Nossa Senhora Aparecida, em comemoração aos 300 anos de graças e bênçãos desde que fora encontrada pelos pescadores no Rio Paraíba e posteriormente se tornaria padroeira do Brasil.

No início da celebração houve a acolhida da imagem, com uma procissão composta das crianças presentes carregando a Bandeira do Brasil; seguida de três pescadores com a Imagem de Nossa Senhora Aparecida. A acolhida à palavra trouxe pessoas carregando potes de água e se dirigiram ao altar para depositar o conteúdo numa talha, seguido de uma jovem trajada de Nossa Senhora carregando a Bíblia numa talha.

Em sua pregação, padre Wilson Vitoria ressaltou os 300 anos da Mãe Aparecida, encontrada pelos pescadores no Rio Paraíba, e associou ao Evangelho do dia ‘As Bodas de Caná’. “Celebramos 300 anos da Imagem da Mãe Aparecida, como foi chamada pelos pescadores; 300 anos em que aqui no Brasil foi alimentando a fé e a devoção…”.

Foto: Caio Vinícius

Ainda segundo o Padre Wilson, na escuta Maria vai fazendo a vontade do Pai, vai guardando tudo no silêncio do coração, vai acolhendo a palavra e se mostrando discípula dessa mesma palavra, ensinando a cada um de nós a escutar o filho e guardar a mensagem do Verbo Encarnado, que essa mesma palavra possa dar sentido às atitudes, às nossas lutas.

Na apresentação das oferendas seis pessoas trouxeram pratos vazios contendo as palavras: partilha, serviço, união, caridade, alegria e solidariedade seguido de outra pessoa carregando um pão, que ao chegar ao altar era partilhado para todos os pratos. A celebração foi encerrada com um canto em homenagem à Mãe Aparecida e a bênção final.

 

Matéria: Jocinere Soares

Fonte: Tribuna do Recôncavo