Durante a Semana Acadêmica da Facemp, realizada de 16 a 18 de maio, aconteceu na quarta-feira (17), a 3ª Feira Cultural de Direito Penal, promovida pelos alunos do 5º semestre. No stand da equipe “Lei de Drogas”, do turno vespertino, os graduandos explicaram para os visitantes os efeitos das drogas na vida do usuário e as diferenças entre as mais comuns: maconha, crack e cocaína.

Em contato com o site Tribuna do Recôncavo, Vlademir, aluno do 5 semestre do curso de Direito da Facemp, falou a respeito da Cocaína, droga extraída da folha de uma planta conhecida como Coca, que depois de prensada com ácido sulfúrico, querosene ou gasolina, vira um pó branco. “O povo Andiano utiliza essa folha para mascar ou como componente para chás com a finalidade de aliviar os sintomas decorrentes da Altitude daquele lugar”.

Outros derivados da cocaína são: o crack que é o resíduo que sobra, podendo ser fumado em cachimbo e a merla que pode ser fumada pura ou misturado com a maconha. “A cocaína pode ser usada via nasal ou oral, sendo que quando usada via nasal poderá causar inflamações, coriza, rinite e podendo até perfurar a cartilagem. O usuário dessa droga fica eufórico, não consegue alimentar-se nem dormir direito. Pode sofrer taquicardia, convulsões e espasmos musculares ”, disse Vladimir.

Além da participação dos alunos, a equipe convidou o perito da Polícia Técnica Lino Oliveira, a juiza da 3ª Vara Cívil Dra. Renata Rocha e o delegado titular da 4ª Coorpin Dr. Felipe Ghiraldelli, os quais participaram de uma roda de conversa com pontos de vista a favor e contra a legalização da maconha. Houve também apresentação musical e sorteio de brindes. A ação foi supervisionada pela professora da instituição Lucianna Barbosa. (Tribuna do Recôncavo)