Aconteceu nesta quarta-feira (17), durante a Semana Acadêmica da Facemp, um mini curso realizado por estudantes do curso de Serviço Social, que teve como tema: Saúde da mulher negra e seus determinantes: gênero, raça/etnia e classe social.

De acordo com a professora da instituição, Chirlene Oliveira de Jesus, a mulher negra ainda nos dias de hoje é discriminada nos serviços de saúde, tanto na procura dos serviços quanto no atendimento de suas demandas. “As mulheres negras estão morrendo pelo não acesso aos serviços de saúde de qualidade e pelas práticas recorrentes do racismo institucional dentro das instituições de saúde”, disse.

O minicurso proporcionou aos participantes a compreensão de que mulheres negras acessam e utilizam menos serviços de saúde decorrente das desigualdades de gênero, raça/etnia e classe social. É fundamental que esta discussão ocorra em outros espaços, já que se faz urgente e necessária. (Tribuna do Recôncavo)