O governador Rui Costa (PT) se manifestou, nesta terça-feira (18), sobre a acusação do ex-funcionário da Odebrecht, André Vital, que apontou transações irregulares no financiamento da sua campanha em 2014. O delator afirmou que a construtora baiana usou o grupo Petrópolis, proprietário da cerveja Itaipava, para fazer repasses ao então candidato petista, em uma espécie de “lavagem de dinheiro”.

Em entrevista coletiva, o gestor estadual negou a denúncia e “jurou” não temer que a colaboração premiada respingue na sua tentativa de reeleição, em 2018. “Não tenho receio nenhum. Juro para você, com o sono tranquilo que durmo. Cada atitude que vou tomar não penso só em mim, penso no orgulho que tenho dos meus pais e o que quero que meus filhos tenham de mim. Não perco cinco minutos de sono pensando nos problemas. Não fiz nada de errado, não estou fazendo e não farei”, frisou.

Rui Costa afirmou que todas doações recebidas foram declaradas à Justiça Eleitoral e que ainda saiu do pleito com uma dívida estimada em R$ 11 milhões. “Eu fui o primeiro governador da história da Bahia que foi eleito e saiu com dívida”, pontuou. O governador evitou falar sobre quem fez a intermediação para que a Itaipava fizesse a doação, mas salientou que a cervejaria também doou para o seu adversário, o atual secretário municipal da Fazenda, Paulo Souto (DEM).

Futuro de Otto – Sobre a possibilidade de o senador Otto Alencar (PSD) renunciar ao posto para concorrer de novo ao Senado, Rui Costa não descartou a hipótese.

“Pode, pode [Otto compor a chapa]. [Mas] Eu estou sempre opinando e vou reafirmar que acho prematuro, neste momento, discutir composição de chapa majoritária. Não pretendo fazer comentário de chapa. Está muito longe da eleição. Nós temos muito desafio para superar e tem muita água para passar debaixo da ponte e, portanto, quero ter o foco neste momento nossas realizações e trabalhos. […] Chapa a gente discute mais à frente”, afirmou, em entrevista coletiva.

A ideia da renúncia para “fortalecer” a chapa do grupo foi apresentada pelo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner.

Bahia.ba