Na última sexta-feira (31) durante a visita do governador Rui Costa em Santo Antônio de Jesus, professores e alunos do Colégio Estadual Antônio Olavo Galvão realizaram uma manifestação contra a desativação do Colégio e o remanejamento de alunos e docentes para o Colégio Municipal Luís Viana.

Em entrevista à Rádio Clube, professores e alunos assinalaram que a desativação do Colégio prejudicará muita gente, pois, toda a comunidade escolar está com o destino incerto. Além disso, eles alegam que o Colégio foi projetado para atender um público específico (jovens e adultos), logo, uma escola que atende o Ensino Fundamental não está preparada para atender a demanda, especialmente porque a estrutura física não é apropriada para receber os alunos que serão remanejados.

O professor, Ednaldo Oliveira, informou que aproveitaram a visita do governador para solicitar que ele interceda para que o Colégio não seja desativado. Segundo ele, até o momento eles não receberam uma justificativa razoável para que ocorra essa desativação.

Para o professsor Eliezer Geraldo, essa desativação do Colégio vai causar prejuízos aos alunos, professores e a sociedade, pois, muitos alunos já falaram da possibilidade de abandonar os estudos. “Recebemos informações de que a estrutura do Luís Viana não está funcionando a contento, então, a gente sairia de uma estrutura que está funcionando plenamente bem para uma que não está”, assinalou.

O aluno Leandro de Jesus manifestou sua revolta: “Nós somos jovens e adultos que trabalhamos o dia todo e não temos como estudar durante o dia e de uma hora para outra chega essa notícia. Como vamos ficar? Sem estudar não temos uma direção certa para nossas vidas. Nos reunimos aqui para mostrar para o governador que não queremos parar de estudar. Não queremos o fim da escola. Tem pessoas que há 9 anos estavam sem estudar e agora que voltaram a escola vai fechar. Isso não tem cabimento”, destacou.

(Reportagem Tiago Ferreira | Foto Uanderson Alves | Redação Maíra Oliveira/Tribuna do Recôncavo)

ESCLARECIMENTO: Segundo a diretora do Núcleo Regional de Educação (NRE 21), Patrícia D’Ávila, não se trata de desativação, mas sim de um remanejamento, procedimento que faz parte do projeto de reestruturação da rede escolar de Santo Antônio de Jesus.