Após os professores da Rede Municipal de Jaguaripe, no Recôncavo Baiano, terem aderido a paralisação nacional, o Sindicato da Categoria apresentou um ofício de reposição, mas a secretária de educação não deu resposta e descontou os dias não trabalhados. Durante esse período de paralisação houve aulas ministradas por ASG.

Um representante da APLB, em contato com o site Tribuna do Recôncavo nesta sexta-feira (28/04), contou que o órgão vai entrar com um processo contra o município pelo não cumprimento dos 200 dias letivos. “Muitos professores vão procurar advogado individual para dar entrada ao processo contra a secretária de educação, que autorizou descontos e nem respondeu aos ofícios da APLB”, disse.

Ainda de acordo com o entrevistado, a categoria pretende mover uma ação contra o município por danos morais, pois por conta do reordenamento, alguns professores foram barrados ao entrarem nas escolas. “Um tremendo constrangimento”.

Muitos professores reivindicam transporte, pois alguns educadores pagam mais de R$ 1.000,00 de transporte, já que muitas localidades são de difícil acesso. De acordo com o presidente da APLB, Julio Ferreira, na sexta-feira (05/05) acontecerá uma assembleia com todos os profissionais de educação, principalmente com os que tiveram seus vencimentos cortados. (Tribuna do Recôncavo)