Uma rebelião na Casa de Custódia de Curitiba, que começou no último domingo (1º), chegou ao fim na manhã desta quinta-feira (05). Ao todo, cinco agentes penitenciários foram feitos refém. Um deles foi liberado logo no primeiro dia, outros três na quarta (04) e o último ao fim do motim.

De acordo com o G1, com informações do presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná (Sindarspen), Ricardo Carvalho, os presos que participaram do tumulto serão encaminhados para a delegacia, onde serão indiciados por cárcere privado, tortura e destruição do patrimônio. Ainda segundo a publicação, dos 600 presos lotados no local, 172 participaram da rebelião. Eles exigiram a transferência de alguns presos para outras unidades, pois estariam sendo ameaçados por facções rivais.

O capitão da Polícia Militar Marcos Roberto informou que as negociações foram muito bem sucedidas. “Não houve violência, houve paz e tranquilidade”. As transferência solicitadas devem acontecer, mas não há prazo. “As transferências vão demorar um pouco mais em virtude de que não tem como fazer uma transferência nesse momento porque a cadeia tem que estar em plena segurança”, explicou Roberto. (Noticias ao Minuto)