O prefeito da cidade de São Felipe, no Recôncavo baiano, Rozalio Souza da Hora, enviou um ofício aos professores da rede municipal para informar que os profissionais que aderirem à paralisação prevista para esta quinta-feira (19) poderão receber falta. Ele ainda diz que o Executivo pode acionar a APLB/ Núcleo São Felipe e sua diretoria sindical, uma vez que entende que a paralisação é ilegítima.

Os professores estão se mobilizado devido ao fato da gestão do prefeito Rozálio não ter feito o reajuste anual do salário do magistério. A legislação nacional prevê que o piso salarial profissional nacional do magistério público da educação básica será atualizado, anualmente, no mês de janeiro. O gestor, contudo, não apresentou o reajuste há quatro meses.

“Esclarecemos que, a fim de evitar prejuízos aos caríssimos servidores, tendo em vista que esta Administração adotará providências legais, inclusive na imputação de faltas, valho-me do presente para informar a todos a que possa interessar da ilegítima paralisação, pedindo para que prevaleça o bom senso, a fim de salvaguardar a continuidade dos serviços públicos”, diz o prefeito. O ofício também foi assinado pela secretária de Educação, Maria da Glória Reis dos Anjos.

O vereador João Vitor criticou a medida do prefeito, lembrando que a Constituição Federal, em seu artigo 9º, e a Lei nº 7.783/89 asseguram o direito de greve a todo trabalhador.

Editado por Tribuna do Recôncavo | Informações: ASCOM-João Vitor