Amaioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu negar, nesta quinta-feira (19), ao deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP), o direito de apresentar mais um recurso contra a condenação que sofreu no ano passado, a 7 anos e 9 meses de prisão, por lavagem de dinheiro.

Dessa forma, a execução da condenação deve ser mantida. Votaram contra o pedido de Maluf os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Celso de Mello e Cármen Lúcia. Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Alexandre de Moraes, Gilmar Mendes e Marco Aurélio divergiram e entenderam que o deputado ainda teria direito a mais um recurso.

Atualmente, Maluf está internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. De acordo com boletim médico divulgado na terça (17), ele faz tratamento contra um câncer de próstata, que está em estágio evoluído, com metástase. (Agência Brasil)