O poema nasce na mente com a ficção ou a realidade que envolve a vida da gente.

O poema é itinerante! Percorre os mais variados aspectos da vida dos seres que se inter-relacionam neste planeta gigante.

O poema é eterno!Perpassa por diversas gerações desde a antiguidade até os tempos pós-modernos.

O poema revela a sapiência do ser humano Independe de cor, idade, sexo ou instrução, importando apenas a essência da comunicação.

O poema é como a natureza! Em sua rica diversidade encanta e sensibiliza pela sua autenticidade e beleza.

O poema é universal! Ultrapassa fronteiras, desvenda os encantos e desencantos do ser humano em sua trajetória natural.

O poema é jovial! Embora exista há tempos remotos permanecem no presente e adentra o futuro, perpassando a era digital.

O poema revela as diversas faces da vida cotidiana! Expressa os anseios e as conquistas vivenciadas pela alma humana.

O poema precisa ser visto, lido, resgatado, contemplado, divulgado!

Contribua com a preservação desta cultura e legado! Valorize e vivencie este patrimônio do mundo literato.

Maria do Carmo da Silva Santos é natural de Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá, licenciada em Geografia pela UNEB – Universidade do estado da Bahia, pós-graduada em Educação e Gestão Ambiental, professora da rede municipal de Santo Antônio de Jesus-Ba, sócia-fundadora da Palmares – Associação Quilombola do Vale do Jiquiriçá, e tem trabalhos publicados no JORNAL MUNDO JOVEM e na LITTERIS EDITORA.