Uma produtora rural da zona rural de Mutuípe, localidade do Bom Jesus, foi surpreendida com o nascimento de um pinto com quatro patas. Aparentemente o pinto está saudável.

Em março deste ano um caso semelhante aconteceu no estado do Acre, a recomendação era que o animal fosse sacrificado, mas o dono da granja preferiu não fazer isso pois o animal aparentava estar bem, se alimentando e andando sem dificuldade o que o motivou a adotá-lo como mascote.

O veterinário do Instituto Desenvolvimento Agroflorestal do Acre, Luiz Leite, acredita que consanguinidade pode ter provocado a anomalia. “Pode se tratar de uma questão de consanguinidade, que é um fato comum aqui na região. Membros com parentesco muito próximos, que se reproduzem, podem promover esses eventos de malformação e anomalias”, explicou ele. (Mídia Bahia)