A Associação dos Peritos Criminais Federais (APCF) decide levar ao ministro Luiz Fux, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, um posicionamento favorável ao uso do voto impresso nas eleições de outubro.

Segundo a coluna do Estadão, a entidade seguiu na contramão da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que deseja derrubar a adoção do método determinado pelo TSE: a impressão de um recibo para que cada eleitor confira o voto.

Os peritos defendem que, além da possibilidade de uma falha de sistema, a medida seria fundamental caso seja necessário auditar o pleito, por exemplo. Os especialistas e estudantes da Universidade de Campinas (Unicamp) identificaram aspectos vulneráveis na urna eletrônica durante os testes de segurança e vão repetir as análises nos dia 7 e 8 de maio. (Bahia.Ba)