O deputado federal Nelson Pelegrino (PT) mandava “representantes” para receber recursos de caixa 2 no escritório da construtora Odebrecht em Salvador, quando concorreu a prefeito da capital baiana na eleição de 2012, segundo relatou o ex-executivo da empreiteira, André Vital, no acordo de colaboração premiada.

Conforme o delator, ele se reuniu com o próprio parlamentar e o comunicou que a Odebrecht iria “apoiar” sua candidatura com R$ 1,5 milhão. Ainda segundo Vital, Pelegrino enviava mensagens por celular a ele para informar a pessoa que iria procurá-lo no escritório da construtora. “Eu tenho identificação de chamada próximo ao dia de pagamento”, ressaltou.

Pelegrino disputou a Prefeitura de Salvador em 2012 contra ACM Neto (DEM), que também é suspeito de receber recursos da Odebrecht via caixa 2. No segundo turno, o democrata venceu com 53,51% dos votos contra 46,49%. O delator contou ainda que a construtora também fez doações “oficiais” para campanha de Nelson Pelegrino a deputado federal em 2014. Segundo ele, “não houve [pedido de] contrapartidas” em nenhum dos pleitos. Veja o vídeo acima ! (Bahia.ba)