O ator Pedro Cardoso surpreendeu a equipe do programa “Sem Censura”, da TV Brasil, nesta quinta-feira (23), ao abandonar os estúdios durante transmissão ao vivo. “Eu peço desculpa a vocês, mas eu não vou responder essa pergunta, nem nenhuma outra, porque quando eu cheguei aqui hoje eu encontrei uma empresa que está em greve. E eu não participo de programas em empresas que estão em greve”, explicou o artista, afirmando que não conhece a negociação e, portanto, não lhe cabe julgar os grevistas ou aqueles que decidiram não aderir à paralização.

“Cabe a mim o maior respeito a todos vocês, aos que estão parados e aos que estão trabalho e aos que estão aqui”, disse Cardoso, que aproveitou para criticar a gestão do presidente Michel Temer. “Diante deste governo que está governando o Brasil eu tenho muita convicção de que as pessoas que estão fazendo esta greve estão provavelmente cobertas de razão. Então eu não vou falar do assunto que eu vim aqui falar, nem de nenhum outro”, afirmou o ator, que havia sido convidado para divulgar a obra “O livro dos títulos”, de sua autoria, que acaba de ser lançada.

Além de apoiar a greve dos funcionários, Pedro Cardoso mencionou ainda a postura do jornalista Laerte Rimoli, diretor-presidente da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), que na última semana compartilhou memes ironizando Taís Araújo, pelo fato da atriz ter feito a seguinte declaração sobre o racismo: “No Brasil, a cor do meu filho faz com que as pessoas mudem de calçada”. “E o que eu soube também quando cheguei aqui é que o presidente desta empresa, que é uma empresa que pertence ao povo brasileiro, fez comentários extremamente inapropriados a respeito do que teria dito uma colega minha onde a presença do sangue africano é visível na pele. Porque o sangue africano está presente em todos nós, e em alguns de nós está presente também na pele, mas em todos nós ele está”, disse Cardoso. (Bahia Noticias) Confira o vídeo do incidente: