O secretário-geral da ONU, António Guterres, fez um apelo nesta quinta-feira (3) ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para não desistir do acordo nuclear com o Irã, evocando o perigo de uma guerra iminente. Em entrevista à rede britânica “BBC”, Guterres chamou o tratado de 2015 de uma “importante vitória diplomática” e disse que o magnata deveria repensar em mantê-lo. “Não devemos nos desfazer a menos que tenhamos uma alternativa válida para isso”, disse ele, acrescentando que vivemos em “tempos muito perigosos”.

Trump tem feito diversas críticas ao acordo, no qual o Irã concordou em limitar seu programa nuclear em troca de não receber mais sanções do chamado grupo P5+1 – cinco membros do Conselho de Segurança da ONU – EUA, China, Rússia, França e Reino Unido – mais a Alemanha. O pacto entrou em vigor em outubro de 2015 e passou a ser aplicado em janeiro de 2016 durante o governo do ex-presidente democrata Barack Obama.

O pedido de Guterres acontece apenas alguns dias depois de Israel revelar “arquivos secretos”, acusando o Irã de ter armas nucleares escondidas. De acordo com o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, os documentos forneceram provas de que o acordo nuclear foi “baseado em mentiras”. Por sua vez, aliados europeus, a França, o Reino Unido e a Alemanha concordaram que o atual acordo é a melhor maneira de impedir o desenvolvimento das armas. (Informações: ANSA)