O funkeiro Nego do Borel negou veemente o seu apoio ao pré-candidato à Presidência. A confusão começou após o cantor beijar um modelo no clipe da música “Me Solta”, lançada nesta segunda-feira (09). Nego do Borel foi acusado de oportunismo por setores da comunidade LGBTQ, principalmente após resgatarem uma foto sua ao lado do pré-candidato à Presidência, Jair Bolsonaro.

“Não sou eleitor de Bolsonaro”, garantiu o funkeiro. Em entrevista ao Uol, Nego do Borel disse que a foto foi tirada em um “jantar”, a pedido de Flávio Bolsonaro, filho do deputado carioca da extrema-direita, conhecido por se posicionar contra os direitos LGBTQ. Muitos internautas apontaram que o beijo gay do cantor no clipe era uma forma de explorar o “pink Money” – termo que define o poder de compra do público gay.

Mas, Borel defende que a mensagem que quis passar desde o início era “representar a liberdade” de ser quem é. Nesta terça-feira (10), o cantor celebrou o seu aniversário de 26 anos e se banhou com uma garrafa de espumante. Contudo, ressaltou que continuou ligado nas críticas e na repercussão nas redes sociais: “Eu e todo mundo temos muita ainda a aprender com esse tema”, ponderou. (Bahia.Ba)